Províncias

Comuna do Bimbe em risco de isolamento

Adolfo Mundombe | Bimbe

Moradores dos bairros da vila do Bimbe, município do Bailundo, pedem uma intervenção urgente na estrada, para que não fique intransitável, com as chuvas, que caem intensamente.

Há dois anos foram feitas algumas obars de terraplagem na via que dá acesso à sede da comuna mas não resistiram à força das enxurradas
Fotografia: Lourenço Bule|

Há dois anos foram feitas algumas obras de terraplanagem na via, mas não resistiram à força das enxurradas, obrigando as populações a fazer longas caminhadas para o Bailundo ou até à comuna do Hengue. A comuna do Bimbe precisa de mais escolas, postos de saúde, casas para os técnicos e quadros da administração do Estado e outras infra-estruturas sociais básicas.
Muitos professores e enfermeiros colocados no Bimbe abandonam a localidade, alegando falta de condições de alojamento, deixando centenas de crianças fora do sistema de ensino e a população sem serviços de saúde.
O administrador comunal adjunto do Bimbe, João Baptista Calongo, explicou que existe um programa para a reabilitação do troço rodoviário de 38 quilómetros, desde o sector do Monte Belo até à sede municipal do Bailundo.
 Sublinhou que do programa consta também a reabilitação da estrada, pontes e pontões entre o Bimbe e Hengue.“A reabilitação da estrada vai facilitar a vida dos camponeses das áreas mais distantes que precisam de escoar os seus produtos para os vários mercados da província e do país”, referiu João Calongo, prometendo “novos tempos” para a comuna, com a construção de mais escolas e postos de saúde na sede e em algumas ombalas. No Bimbe trabalham 130 professores, mas o administrador adjunto lamenta a fuga de muitos por falta de habitação.

Saúde e educação


A comuna do Bimbe tem 14 centros escolares, sendo uma escola de construção definitiva, com três salas, e cinco comunitárias nas ombalas da Ganda, Utende, Capoco, Chilala e Mbembwa. João Calongo garantiu que já foi elaborado um programa de construção de casas e outros incentivos para reter na comuna os professores e outros técnicos.
Quanto à saúde, a comuna tem um centro e dois postos nas ombalas de Utende e Ganda, que atendem, em média, 20 a 25 pacientes por dia. As unidades sanitárias estão bem equipadas e apetrechadas, com os fármacos necessários para combater as doenças mais comuns.

Agricultura e comércio

O sector agrícola é um dos que mais se desenvolve na comuna do Bimbe, como resultado do apoio em sementes, fertilizantes e instrumentos de trabalho, permitindo grandes colheitas.
A maior dificuldade está no escoamento da produção, devido ao estado das vias nesta comuna com pouco mais de cinco mil habitantes. A alternativa tem sido o mercado de Wako Kungo, província do Kwanza-Sul, para onde os camponeses levam, em motorizadas e carroças, pequenas quantidades de milho, feijão, mandioca, amendoim e hortaliças.“Os camponeses não têm como escoar as grandes quantidades de produtos que colhem, devido ao mau estados das vias que dão acesso aos pontos de comercialização, disse o administrador. As poucas cantinas da vila do Bimbe estão razoavelmente apetrechadas, mas os preços ainda são demasiado elevados, disse o administrador João Calongo. Um litro de óleo alimentar custa 250 kwanzas e igual valor para a barra de sabão.

Tempo

Multimédia