Províncias

Construção de fábrica metalúrgica condicionada por falta de verbas

Justino Vitorino | Huambo

O administrador da área da electrotecnia da empresa Agotec, gestora da indústria electromecânica no Huambo, disse na sexta-feira que a falta de verbas está a condicionar as obras de construção da fábrica Metalo-Mecânica. Jorge

O administrador da área da electrotecnia da empresa Agotec, gestora da indústria electromecânica no Huambo, disse na sexta-feira que a falta de verbas está a condicionar as obras de construção da fábrica Metalo-Mecânica. Jorge Andrade Marques adiantou que, até o momento, já foram investidos mais de um milhão de dólares, dos seis a serem empregues. “A empresa está a trabalhar com fundos próprios, enquanto aguarda por financiamentos dos bancos”, salientou, acrescentando que “as obras estão a decorrer, mas não ao ritmo ideal, porque continuamos a aguardar, desde Janeiro, pela resposta dos bancos, fundamentalmente ao crédito que foi solicitado”.
Jorge Andrade Marques disse que a Agotec está a estudar outros mecanismos, no sentido de conseguir dinheiro para dar continuidade à obra e sublinhou que a fábrica vai produzir cerca de oito turbinas hidroeléctricas por mês. O lançamento da primeira pedra para a construção da indústria electromecânica aconteceu em Maio deste ano e foi testemunhado pelo governador da província do Huambo, Fernando Faustino Muteka. A inauguração da fábrica está prevista para Dezembro.

Tempo

Multimédia