Províncias

Construção de habitações vai arrancar em Setembro

Victória Quintas|Huambo

As autoridades governamentais do Huambo vão arrancar, em Setembro próximo, com obras de construção de residências em todos os municípios, no âmbito do projecto habitacional do Executivo em curso no país, assegurou na segunda-feira a directora provincial do Ordenamento do Território, Urbanismo e Ambiente

Programa do governo pretende criar melhores condições de habitabilidade
Fotografia: Jornal de Angola

As autoridades governamentais do Huambo vão arrancar, em Setembro próximo, com obras de construção de residências em todos os municípios, no âmbito do projecto habitacional do Executivo em curso no país, assegurou na segunda-feira a directora provincial do Ordenamento do Território, Urbanismo e Ambiente. 
Ana Paula de Carvalho disse que, neste momento, os 11 municípios da província já identificaram as reservas fundiárias, estando a decorrer actividades sobre os planos de urbanização, que permitirão, que daqui a três meses, iniciem as obras de construção das casas.
Na semana passada, foi apresentado um plano de urbanização para a autoconstrução dirigida de quatro mil casas, no município da Ekunha, localizado a 42 quilómetros a Oeste da cidade do Huambo.
O projecto de construção de infra-estruturas contempla áreas verdes, zonas escolares, postos de saúde, esquadras policiais, bombeiros, rede hoteleira e outros serviços.
Numa primeira fase, vai contemplar a instalação da rede de distribuição de água, sistema de electricidade, esgotos e, posteriormente, a construção de estradas na reserva fundiária do município da Ekunha.
O município do Huambo, de acordo Ana Paula Carvalho, possui duas grandes reservas fundiárias, sendo uma na comuna da Chipipa e outra na localidade de Lossambo. Nesta última, o projecto está mais avançado, estando já erguidas mais de 25 casas, estando-se agora na fase de abertura de vias.
Os loteamentos já foram feitos e estão criadas as condições para a entrega de lotes para autoconstrução dirigida, cuja distribuição está prevista para este mês. Na reserva fundiária do Lossambo, no terreno consignado à empresa Microcenter Construções, que possui o compromisso com o governo de construir, numa primeira fase, 100 residências, foram já erguidas 32 casas do tipo T3. Para a empreitada trabalham mais de 60 técnicos, distribuídos nas tarefas de construção, instalação eléctrica e canalização.
Além da Microcenter Construções, mais duas construtoras, designadamente, a Joel&Filhos e a EFES-Empreendimentos, estão encarregues de construir, em conjunto, 200 novos fogos habitacionais no Lossambo.

Milhares de casas erguidas  

Dentro do programa habitacional de que o país beneficia, mais de 110 mil casas serão construídas, no âmbito de parcerias público-privadas. Neste contexto, Ana Paula de Carvalho diz que a província do Huambo vai beneficiar de 12 mil residências.
 Estas vão ser distribuídas pelos municípios do Huambo, na reserva da Chipipa, onde serão construídos três mil fogos, dois no Lossambo, quatro no Bailundo, e outras três mil na Caála. Os restantes municípios da província vão beneficiar, numa primeira fase, da construção de 200 casas.
Nesta fase, o projecto visa construir casas sociais para o realojamento da população que vive em edifícios degradados da cidade. Posteriormente, as residências serão colocadas à disposição daqueles que tiverem necessidade de habitação própria.
Estes projectos, surgem no âmbito do Programa Nacional de Habitação, que visa diminuir os problemas que este sector enfrenta.

Tempo

Multimédia