Províncias

Construções ameaçam segurança no Aeroporto

Tatiana Marta | Huambo

O elevado número de edifícios que estão a ser erguidas próximo da pista do aeroporto Albano Machado, no Huambo, e o roubo de mais de 800 metros de arame laminado da vedação por desconhecidos, coloca em risco a segurança dos moradores e da Empresa Nacional de Navegação Área (ENANA), alertou o responsável da instituição naquela província.   

Arames da vedação do aeroporto do Huambo estão a ser vandalizados por desconhecidos colocando em risco a segurança dos moradores
Fotografia: Santos Pedro

Abel Hossi manifestou-se preocupado com a situação e acusou alguns funcionários dos serviços de fiscalização da Administração Municipal do Huambo de serem coniventes, permitindo que sejam construídas residências próximo da pista do aeroporto. O responsável denunciou  que alguns moradores, cujas residências foram erguidas a poucos metros da pista, além de destruírem a vedação, colocam também resíduos sólidos junto dos arames, criando, deste modo, um impacto negativo no meio ambiente e na aviação, por atraírem aves. Aliado a isso, crianças e animais, como canídeos e gado bovino e caprino atravessam a pista.
Para combater a construção anárquica, o responsável prometeu tomar medidas duras e para esse efeito foi criada uma comissão para identificar os proprietários das habitações. Entre os meses de Julho e Agosto deste ano, a ENANA desenvolveu trabalhos de reparação dos três quilómetros da vedação, com vista a garantir a segurança aeronáutica, além de ter aberto 13 quilómetros de picadas para facilitar o patrulhamento da Polícia Nacional, tendo em conta os actos de vandalismo praticados pelos moradores das áreas vizinhas.
 O responsável da ENANA explicou que foram vedados 16 quilómetros, restando fechar parte do espaço que destinado à instalação de equipamentos diversos, como definem as regras internacionais da aviação civil. 

Níveis operacionais

Apesar das constantes chuvas que se abatem anualmente sobre a província do Huambo, o director da ENANA garantiu que o aeroporto Albano Machado mantém os habituais níveis de operacionalidade, incluindo a segurança e o conforto dos passageiros.
Abel Hossi garantiu que a chuva não constitui qualquer problema para a operação aeronáutica, pois, referiu que  a pista continua intacta e nas melhores condições de aterragem de aeronaves.
“O aeroporto Albano Machado está construído numa zona com boa drenagem de água. Felizmente, nunca tivemos qualquer dificuldade relacionada com a inundação da pista ou cancelamento das aeronaves por questões de segurança”, disse. O director da ENANA no Huambo informou que os serviços de tráfego aéreo são assessorados por técnicos do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET), de modo a permitir que as tripulações sejam informadas sobre as condições climáticas da região, planificando as operações de voo.
O aeroporto Albano Machado, reinaugurado em 2011, possui 10 concessionários com diversos serviços aos passageiros, de acordo com o novo paradigma de gestão aeronáutica.

Tempo

Multimédia