Províncias

Crescem os casos na Caála

Justino Vitorino | Caála

A Maternidade do Hospital Municipal da Caála, na província do Huambo, registou, nos últimos meses, vários casos de gravidez precoce em adolescentes com idades entre 12 e 14 anos, informou a responsável da saúde reprodutiva daquela unidade hospitalar.

Laurinda Saúla informou que, ao longo do primeiro trimestre deste ano, o Hospital Municipal da Caála registou 25 casos de gravidez precoce, na sua maioria de mães adolescentes. A fonte realçou que no mesmo período cerca de 157 partos foram realizados na unidade sanitária, dos quais 54 em cesariana.
“Muitas destas mulheres não reúnem condições sociais para sustentar um filho e por este facto são obrigadas também a abandonar os estudos, por consequência da gravidez prematura”, frisou.
“Agora que estou concebida não vou constantemente à escola, não trabalho e tenho que depender da ajuda dos meus pais”, lamentou uma adolescente de 13 anos. O pedagogo Agostinho Macoca Manuel recomendou mais diálogo no seio familiar, de modo a evitar gravidez precoce na adolescência.
A saúde dos adolescentes é condicionada pelo ambiente familiar, que satisfaz as necessidades imediatas e básicas, disse.
“Quero aconselhar, sobretudo as mães jovens, que do ponto de vista estatístico constituem a camada mais afectada, que tenham em conta a consequência da gravidez precoce na adolescência”, concluiu.

Tempo

Multimédia