Províncias

Criadores incentivados a vacinar o gado

Marcelino Dumbo | Huambo

A direcção provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural no Huambo está a incentivar os criadores de gado a habituarem-se a levar os animais às vacinas de rotina, em vez de esperarem pelas campanhas.

Os Serviços Veterinários estão a envidar esforços no sentido de ajudar as populações das zonas rurais a aderirem às campanhas de vacinação
Fotografia: www.jaimagens.com

O aconselhamento é feito através de campanhas de sensibilização nas comunidades rurais e visa diminuir as doenças mais frequentes entre a população animal, como o carbúnculo, dermatose e outras, que têm sido as principais causas de morte de gado na província do Huambo.
O director provincial do sector, engenheiro Emitério Tiago, alertou para a grande necessidade de os criadores de gado realizarem vacinação de rotina aos seus animais, mesmo sem notarem sintomas de qualquer enfermidade.
Nem sempre as campanhas de vacinação dirigidas são suficientes para garantir a saúde de todos os animais, acrescentou. Por um lado, devido ao crescimento da população que se regista todos os anos e, por outro, porque muitos criadores escondem e furtam-se a levar os seus animais às mangas de vacinação, principalmente os que são utilizados nas lavouras.
A chefe do Departamento dos Serviços Veterinários no Huambo, Berta Teresa, disse que, a nível da província, estão identificados nos sectores empresariais e tradicionais 195.287 bovinos,  990.238 caprinos, mais de 4 mil aves e  perto de um milhão de espécies suínas.
Os serviços veterinários estão a desenvolver esforços no sentido de ajudar as populações das zonas rurais, sobretudo os pequenos criadores, a aderirem às campanhas de vacinação que vão ser realizadas nos próximos dias, principalmente para os animais de grande porte.
Muitas doenças que se registam com maior frequência nas comunidades rurais são causadas, em muitos casos, por animais oriundos de outras regiões, daí a necessidade de os criadores estarem conscientes da importância e necessidade de os vacinar, explicou.
Os serviços veterinários têm encontrado algumas dificuldades devido ao crescimento da população animal que se regista todos os anos na província.

Tempo

Multimédia