Províncias

Crianças são desparasitadas

Tatiana Marta | Huambo

Mais de 300 mil crianças da província do Huambo, com idades entre os cinco e os 15 anos, vão ser desparasitadas nos próximos dias, com uma dose única de Albemdazol, no âmbito da campanha provincial de combate às doenças tropicais negligenciadas, anunciou o director provincial da Saúde.

Frederico Juliana, que falava na apresentação do projecto de levantamento das doenças tropicais negligenciadas, informou que o governo está preocupado com as doenças tropicais negligenciadas, como a cistozomia filariaze e os parasitas intestinais que afectam muitas crianças.
“O Governo do Huambo começou, a seguir ao último Conselho Consultivo, a traçar estratégias que visam combater as doenças negligenciadas”, disse Frederico Juliana, que acredita no êxito da campanha e espera a contribuição de todas as forças vivas.
O director provincial pediu ainda a colaboração de todos os administradores, chefe de repartições e da população em geral, de modo a facilitarem o levantamento e registo destas doenças tropicais em todos os municípios, comunas e bairros. A supervisora provincial do Programa de Saúde Ambiental e coordenadora das doenças tropicais negligenciadas na província, Lurdes Garcia, disse que estas enfermidades são negligenciadas por falta de atenção dos governos e das comunidades científicas.
Lurdes Garcia sublinhou que estas doenças tropicais matam as pessoas lentamente, provocam deficiências que são irreversíveis e muitas delas são adquiridas durante à infância. Só em África existem perto de 99 por cento de casos de várias doenças tropicais negligenciadas.           
 “Vamos apostar na desparasitação, melhorar o estado nutricional das crianças e realizar campanhas de educação nas comunidades, para que as mulheres tenham uma gravidez saudável e bom nascimento, evitando complicações irreversíveis para a vida das crianças. Este é um dos nossos objectivos”, afirmou. 
Participaram na apresentação do projecto os administradores municipais e comunais, chefes de repartição da saúde e educação, professores, membros do Governo e convidados.

Tempo

Multimédia