Províncias

Cruzada no Huambo contra analfabetismo

Cerca de 31 mil cidadãos da província do Huambo aprenderam a ler e escrever durante a campanha especial de alfabetização, aberta em Junho de 2012, afirmou na quinta-feira o seu coordenador, Guilherme Tuluca.

Governo Provincial aposta no combate ao analfabetismo de modo a promover a inclusão social
Fotografia: JA

A campanha, que decorreu sob o lema “Angola Alfabetizada, Angola em Marcha”, contou com 1.198 alfabetizadores voluntários, que realizaram a sua actividade com base no módulo I do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar em curso no país, correspondente à 1ª e 2ª classes.
Guilherme Tuluca, que é também vice-governador do Huambo para a área política e social, reafirmou a aposta do Governo Provincial no combate ao analfabetismo em todas as comunidades, porquanto está “consciente” de que a recuperação, o crescimento e o desenvolvimento socioeconómico do país depende, em parte, da sua erradicação.
“Queremos manifestar o firme engajamento do Governo local na continuidade do processo de alfabetização, contando com todas as formas vivas da sociedade civil no sentido de tornar possível a alfabetização familiar”, salientou.
Quando procedia ao balanço da campanha especial de alfabetização na província do Huambo, Guilherme Tuluca frisou que a aposta no combate ao analfabetismo é uma forma de promover a inclusão social e o exercício dos seus direitos pelos cidadãos. O responsável do programa de alfabetização considerou necessária uma maior conjugação de esforços entre os cidadãos para que tal objectivo seja alcançado. O responsável destacou o engajamento das Forças Armadas Angolanas, Polícia Nacional, igrejas Evangélica Congregacional em Angola, Católica, Metodista, Fé Apostólica, Adventista do 7º dia, das Brigadas Deolinda Rodrigues e Hoji-ya-Henda e do Movimento Nacional Espontâneo durante a referida campanha.

Tempo

Multimédia