Províncias

Defendida mais atenção à educação e saúde a

Vitória Quintas | Cachiungo

O vice-governador da província do Huambo para o Sector Económico, Joaquim da Conceição, pediu um rigoroso acompanhamento na gestão dos recursos humanos nos sectores da Educação e Saúde, por representarem a maior força de trabalho e se  verificarem os maiores casos de fraude nos pagamentos de salários e atribuição das reformas e pensões.  

Um ângulo da cidade do Huambo onde a Saúde e a Educação têm a maior força de trabalho
Fotografia: Santos Pedro

Joaquim da Conceição abriu a reunião do Conselho Consultivo dos Órgãos da Secretaria do Governo da Província, realizada no Catchiungo, em que participaram os chefes de secretaria dos 11 municípios que compõem a circunscrição administrativa do Huambo e os representantes dos recursos humanos das Direcções Provinciais da Educação, Saúde e da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social.
O controlo nos sectores da saúde e educação deve basear-se na gestão dos recursos humanos, tendo em conta que além de terem maior representatividade em número de efectivos, a educação representa 67 por cento da força de trabalho, e a saúde 19 por cento, também acarretam muitos problemas, designadamente no pagamento de salários e fraudes no processamento das reformas e pensões dos seus quadros. “As questões relativas à mobilidade dos quadros, pagamento de salários, reformas, avaliação do desempenho e formação técnico-profissional dos quadros, devem ser de tratamento uniforme, já que persistem problemas relacionados com a duplicidade de salários, devido à falta de controlo e acompanhamento das inactivações por reforma ou aposentação, transferências, mortes, abandonos de lugar e demissões”, disse. Joaquim da Conceição referiu que a promoção do reforço da capacidade dos recursos humanos dos órgãos e serviços da Administração Local do Estado só é possível com a constatação dos factos de forma objectiva, através de encontros de ajuda e controlo.
O secretário do Governo Provincial do Huambo, Feliciano Salomão Himulova, informou que a província tem 33.496 funcionários da Administração Local do Estado. O sector da educação tem 22.300 efectivos e a saúde 6.222. O regime geral, que corresponde apenas a 14 por cento de funcionários, tem 4.974 funcionários, disse Feliciano Himulova. 

Tempo

Multimédia