Províncias

Definidas regras criteriosas para admissão de professores

Mário Clemente | Huambo

O governo do Huambo vai, num futuro próximo, atendendo à limitação de vagas, dar prioridade na admissão ao sector da Educação a candidatos provenientes de escolas que formam professores, disse, ontem, ao Jornal de Angola, uma fonte oficial.

Jovens formados na área da Educação na província merecem oportunidades
Fotografia: Mota Ambrósio

O governo do Huambo vai, num futuro próximo, atendendo à limitação de vagas, dar prioridade na admissão ao sector da Educação a candidatos provenientes de escolas que formam professores, disse, ontem, ao Jornal de Angola, uma fonte oficial.
 O director provincial da Educação esclareceu que a decisão foi tomada porque, “num passado recente, existiram problemas relativamente à falta de rigor na selecção criteriosa dos candidatos”.
Por este facto, afirmou Manuel do Amaral, o concurso para este ano vai ser feito com muito rigor e o grau de exigência dos candidatos é maior.  “Há, na província, escolas que formam professores, como sãos os casos do INE, a ADPP, o Magistério Primário e o ICRA”, lembrou, acrescentando:
“Acreditamos que temos jovens formados na área da educação e, pelo número limitado de vagas, o governo provincial entende que são a estes que devem ser dada oportunidade de concorrerem”.
Ao todo, foram atribuídas 1.602 vagas para o concurso público externo de ingresso no sector da educação.
Deste número, disse, estão disponível cem vagas para professores do II Ciclo do ensino secundário do 8º escalão, 50 lugares para o II Ciclo do ensino secundário do 6º escalão, 300 para o I Ciclo de ensino secundário do 6º escalão e para o 6º escalão do ensino primário, 1.152.

Tempo

Multimédia