Províncias

Desfile do trabalhador a favor da estabilidade

Victória Quintas | Huambo

A União dos Sindicatos pretender levar dez mil pessoas a desfilar no dia 1 de Maio, na província do Huambo, de acordo com Adriano dos Santos, secretário-geral da organização sindical.

Vista parcial da cidade do Huambo onde centenas de trabalhadores saem à rua amanhã
Fotografia: Francisco Bernardo

A União dos Sindicatos pretender levar dez mil pessoas a desfilar no dia 1 de Maio, na província do Huambo, de acordo com Adriano dos Santos, secretário-geral da organização sindical. Os trabalhadores vão desfilar por municípios e a concentração está programada para a Praça Agostinho Neto.
Adriano dos Santos informou que foram criadas as condições para que todos os trabalhadores dos municípios sejam transportados por viaturas.
O secretário-geral da União dos Sindicatos recordou que pelo menos sete blocos desfilam no Dia do Trabalhador na província do Huambo, sob o lema “Trabalhadores Unidos! Lutemos pela Estabilidade do Emprego”.
O dirigente sindical acusa alguns empregadores de desrespeitarem a Lei Geral de Trabalho, rescindindo os contratos quando querem, sem cumprirem os seus deveres. Outro aspecto que preocupa o sindicalista tem a ver com “baixos salários” que auferem os seus filiados.
“Não há outro instrumento jurídico senão a LGT que imponha aos empregadores o cumprimento da lei para manter estável o emprego. Esperamos que se estudem rapidamente alguns instrumentos que assegurem a estabilidade no emprego”, enfatizou.
O Dia do Trabalhador surgiu para homenagear os trabalhadores de Chicago, que em 1886 realizaram uma manifestação nas ruas, para exigir a redução da jornada de trabalho para oito horas diárias e que teve a participação de milhares de pessoas.

Tempo

Multimédia