Províncias

Educação aguarda autorização para colocar novos professores

A Direcção Provincial da Educação do Huambo aguarda autorização do Ministério das Finanças para emitir as guias de colocação dos 6.100 candidatos admitidos à docência, no concurso público realizado em Maio deste ano.

A Direcção Provincial da Educação do Huambo aguarda autorização do Ministério das Finanças para emitir as guias de colocação dos 6.100 candidatos admitidos à docência, no concurso público realizado em Maio deste ano.
O director provincial da Educação, Felisberto Mona, informou que o governo local está a agilizar toda a tramitação burocrática exigida. Disse que está prevista para esta semana a assinatura das listas definitivas que, posteriormente, são remetidas ao Ministério das Finanças para cobertura financeira.
“Não podemos emitir guias de marcha sem termos garantias de que os professores vão ser pagos. A nossa preocupação é regularizar a sua situação salarial para depois lhes darmos posse”, esclareceu.
O director da Educação no Huambo informou que dos novos professores, seleccionados entre 24.000 candidatos ao concurso público, 4.000 vão dar aulas no ensino primário, 1.500 no primeiro ciclo e 600 no segundo.
Felisberto Mona considerou que a admissão dos 6.100 professores vai atenuar consideravelmente o défice de quadros na província, reduzindo o número de crianças fora do sistema normal de ensino.
O secretário-geral do Governo Provincial do Huambo, Sérgio Raul, explicou que os candidatos admitidos ao ensino primário vão auferir 51.744 kwanzas de salário base, o mesmo valor que vai ser pago aos professores da mesma categoria admitidos no 1º ciclo.
Os admitidos para leccionarem no 2º ciclo, na maioria licenciados e bacharéis, vão auferir, segundo Sérgio Raul, 108.602 kwanzas de salário base.
O Tribunal de Contas, no seu parecer, autorizou, em Maio, o ingresso dos novos professores no quadro da função pública da província do Huambo.

Tempo

Multimédia