Províncias

Ensino superior chega aos municípios

Vitória Quintas| Huambo

Os sectores da Educação e da Saúde são apontados como os que mais registaram crescimento na província do Huambo, desde o alcance da paz, há 12 anos, revelou o vice-governador para a área técnica e infra-estruturas.

Huambo
Fotografia: Francisco Bernardo

Francisco Calunga Quissanga referiu que as escolas e as instituições sanitárias são os principais indicativos de desenvolvimento na região. O sector da Educação dispõe actualmente de 1.093 escolas da iniciação ao II ciclo, num universo de 4.500 salas distribuídas por todos os municípios.
Neste ano lectivo, estão matriculados 713 mil alunos do ensino primário ao II ciclo, o que representa um acréscimo de 30 mil alunos, comparativamente ao ano passado.
O vice-governador da província para o sector técnico e infra-estruturas disse que o Governo continua a implantar escolas do segundo ciclo em todas as sedes municipais, tendo construído, até agora, oito com 26 salas: “queremos evoluir para a construção de escolas de 12 salas nas comunas”. Quanto à rede sanitária, outra área que conheceu um grande crescimento na província, foram construídos centros e postos de saúde, equipados com meios eficazes em todas as sedes comunais, o que melhorou a prestação de serviços à população. A meta é levar hospitais de referência aos 11 municípios da província. Mas dado o valor de cada unidade, só é possível construir um em cada Programa de Investimentos Públicos (PIP), disse Francisco Calunga Quissanga.
Actualmente, está em fase de acabamento a construção do Hospital Municipal do Ecunha, erguido no âmbito do PIP 2013. No próximo exercício avança a construção do Hospital do Bailundo. E estão em curso as negociações para a edificação do hospital pediátrico.
Com objectivo de sensibilizar as populações para as formas de combater as doenças mais frequentes na província, está em curso um projecto integrado de saúde, denominado “Uhayele vimbo”, “saúde na aldeia”, em português.
O problema da falta de médicos está a ser superado. Neste momento, 192 médicos estão distribuídos em todos os municípios. Há quatro anos, apenas os municípios do Huambo, Bailundo, Caála e Ucuma tinham médicos.
A província conta com um centro de hemodiálise, que, além de doentes do Huambo, atende também pacientes com doenças renais das províncias do Bié, Benguela, Huíla, Cuando Cubango e Cuanza Sul.

Energia e água


A barragem hidroeléctrica do Ngove, com três máquinas de 20 mega watts de energia cada, abastece as cidades do Huambo e Caála, a par da província do Bié. Com um caudal máximo de dois mil metros cúbicos e um mínimo de 20 metros cúbicos, a barragem entrou em funcionamento há quase dois anos.
“Estamos agora a trabalhar na expansão da rede eléctrica e a repor serviços essenciais, tal como a água, que foram destruídos durante a guerra”, disse o vice-governador do Huambo.
O transporte da energia para os municípios do Londuimbali, Catchiungo e Chicala Choloanga, constitui uma das principais apostas do sector da Energia.
Actualmente, a taxa de abastecimento de água potável é de 39,3 por cento, equivalente a 971.068 consumidores, num universo de mais de 2,5 milhões de habitantes da província. É preciso de reabilitar 303quilómetros de conduta de água potável e a construção, este ano, de duas estações de captação e tratamento de água, com capacidade de 1.360 metros cúbicos por hora.
No âmbito do Programa Água para Todos, foi possível a construção de 361 chafarizes na província. A meta até 2017, é elevar a taxa de abastecimento de água potável para 80 por cento nas zonas rurais e 100 por cento nas áreas urbanas.

Parque industrial

O parque industrial do Huambo foi destruído em mais de 90 por cento durante a guerra. Com a paz, há indícios do seu ressurgimento, principalmente com o pólo industrial da Caála, que pode contar com mais de 40 unidades fabris.
No local, já estão em funcionamento uma cerâmica, uma fábrica de colchões e uma marcenaria, que está a confeccionar, além de mobiliário doméstico, carteiras escolares. Calunga Quissanga disse que é necessário um impulso maior, para o seu pleno funcionamento.

Ensino superior


A Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), da Quinta Região Académica de Angola, com sede no Huambo, é constituída pelas faculdades de Medicina Humana, Ciências Agrárias, Medicina Veterinária, Economia, Direito e o Instituto Superior Politécnico. Engloba igualmente as instituições de ensino superior públicas nas províncias do Bié e Moxico, com mais de 23 cursos de licenciatura, para uma população estudantil estimada em dez mil. Tem cinco cursos de mestrado, com195 estudantes.
O Governo vai instalar nos municípios mais populosos núcleos de ensino superior com internatos, para evitar o êxodo de jovens para a cidade do Huambo. O município da Chicala Choloanga vai ser o primeiro contemplado.
Calunga Quissanga referiu que foi lançado na Chicala Choloanga o projecto para a construção do Centro Regional de Jornalismo, que vai contar com um internato.
Anunciou igualmente que, na mesma zona está a ser construída a Escola Técnica de Saúde, que vai igualmente funcionar em regime de internato.

Habitação e transportes

A construção de 12 mil fogos habitacionais no Huambo, Bailundo e Caála, para além da edificação de 200 casas em todos os municípios da província estão em marcha.
Até agora, foram já distribuídas 189 casas sociais, erguidas pelo Ministério da Juventude e Desportos, nas localidades do Lossambo, arredores da cidade do Huambo, Bailundo, Ecunha e Caála, no âmbito do Programa Angola Jovem.
Quanto ao comércio rural, a sua dinamização está a possibilitar também aos camponeses e agricultores criarem riquezas para o sustento das suas famílias. “O poder de compra aumentou”, disse Calunga Quissaga. Os produtos do campo são agora escoados com facilidade para os mercados dos centros urbanos.
A cidade do Huambo está ligada aos municípios, por estradas asfaltadas. A circulação do comboio do CFB é um grande ganho da paz e tem facilitado as trocas comerciais entre as províncias de Benguela, Huambo, Bié e Moxico.
Desde o início da circulação, em Agosto de 2011, os comboios de carga e de passageiros fazem s o trajecto Porto do Lobito/Huambo/Bié/Moxico, levando mercadorias o que tem contribuído significativamente para a redução dos preços dos produtos.

Outros projectos


Calunga Quissanga anunciou a existência de muitos projectos, que vão ser executados em breve, com destaque para a reabilitação das vias terciárias.
Francisco Calunga Quissangalembrou que a reabilitação do troço rodoviário Cuima/Cusse faz parte do lote que se encontra em vias de aprovação pelo Ministério da Construção.
O vice-governador do Huambo sublinhou que a manutenção da paz é tarefa de todos os angolanos, por ser um bem que muito custou a ser conquistado.

Tempo

Multimédia