Províncias

Escola reforça curso de gestão florestal

Estácio Camassete|Huambo

O Instituto Médio Agrário (IMA) foi fundado em 1978 com um único curso, o de Silvicultura. Este ano a instituição aposta no curso de Gestão Florestal.

O Instituto Médico Agrário do Huambo já formou milhares de técnicos e este ano lectivo aposta no curso de gestão florestal
Fotografia: Francisco Lopes

O Instituto Médio Agrário (IMA) foi fundado em 1978 com um único curso, o de Silvicultura. Este ano a instituição aposta no curso de Gestão Florestal.
Benedito Ornelas Coimbra, o actual director da instituição, conta como foram os primeiros tempos de vida do Instituto Médio Agrário, nas instalações do actual Instituto Superior Politécnico Hochi Min: “éramos um grupo muito unido. De lá saímos bem formados, muitos de nós foram para a Faculdade de Ciências Agrárias e servimos hoje com dignidade a sociedade”.
O Instituto Médio Agrário do Huambo já formou, segundo dados da Direcção Provincial de Educação, mais de 1.500 alunos. Em 2008, o Estado apostou na edificação de novas infra-estruturas num espaço de 10.635 quilómetros quadrados no bairro do Dango. Nasceu um edifício com 20 salas, laboratórios de física, química, biologia, fitotécnica, informática e multimédia, que servem 829 estudantes de todos os municípios do Huambo e também das províncias de Luanda, Moxico, Kuando- Kubango, Lunda-Norte, Lunda-Sul, Kwanza-Norte, Kwanza-Sul, Bié, Malange, Cunene e Zaire.
Benedito Ornelas, diz que desde a mudança do instituto para o Bairro do Dango, a instituição já formou 238 estudantes nas especialidades de produção animal e vegetal e gestão agrícola, que servem as fazendas e cooperativas do Planalto Central, Wako Kungo e Humpata, na província da Huíla.
Além dos cursos que ministra nas áreas da produção animal e vegetal e da gestão agrícola, o Instituto Médio Agrário apostou forte, no ano lectivo que começou na semana passada, no curso de gestão florestal como forma de ajudar os esforços do Executivo na luta pelo repovoamento florestal, já que as matas do Planalto Central têm sido muito afectadas com o corte de árvores e desmatamento.
O Instituto Médio Agrário recebe fundos do Executivo, que assegura todos os meios necessários à manutenção dos equipamentos instalados em laboratórios, a estrutura do próprio edifício, que além das salas normais de aulas e dos laboratórios, possui um campo polidesportivos e blocos residenciais para 260 alunos em regime de internato.

Planos de futuro

Para o futuro, a direcção do Instituto Médio Agrário do Huambo aposta na criação de uma cooperativa, que vai absorver grande parte dos estudantes na produção de produtos agro-pecuários, que vão abastecer o mercado local, num esforço conjunto de esforços com o Estado no seu programa de combate à fome e à pobreza.
É aposta da instituição melhorar a estrutura curricular da instituição com a criação de novos cursos ligados ao sector agro-pecuário. Benedito Ornelas Coimbra diz que para dar tal passo, a sua direcção depende de orientações específicas do Executivo, já que a instituição tem capacidade para 1.200 alunos e neste momento frequentam o Instituto Médio Agrário apenas 829 alunos, nos quatro cursos.

Tempo

Multimédia