Províncias

Escolas no Huambo ensinam o umbundo

Marcelino Dumbo| Huambo

O director provincial da Educação no Huambo, Felisberto Mona, procedeu ontem à entrega do material didáctico da língua nacional umbundu, com o objectivo de se massificar o ensino nas escolas do ensino primário.

Além do português, alunos vão poder aprofundar conhecimentos sobre a língua nacional umbundu que é falada numa boa parte do país
Fotografia: Benjamim Cândido

O director provincial da Educação no Huambo, Felisberto Mona, procedeu ontem à entrega do material didáctico da língua nacional umbundu, com o objectivo de se massificar o ensino nas escolas do ensino primário.
A entrega oficial do material didáctico às escolas do ensino primário pelo governo da província marcou o início da efectivação do programa da generalização do ensino da língua nacional umbundu no Huambo.
Felisberto Mona frisou que, numa primeira fase, o projecto vai beneficiar mais de 600 mil alunos do ensino primário em todos os municípios da província do Huambo, vai servir para elevar o nível de conhecimento da língua nacional e engrandecer a identidade cultural.
Referiu que o ensino das línguas nacionais está consagrado no sistema de educação, por isso, é um compromisso do Estado angolano com as instituições escolares, para elevar o nível de aperfeiçoamento dos alunos.
O responsável pela educação no Huambo destacou o fraco acesso ao material didáctico como um dos principais constrangimentos no trabalho dos professores e, sublinhou, isso reduz o rendimento académico dos alunos.
Felisberto Mona pediu aos responsáveis e directores das escolas para criarem condições para a conservação dos meios didácticos e a gestão correcta do material.
Esclareceu que os professores devem distribuir aos alunos e incentivá-los para devolverem os livros no fim de cada ano lectivo.

Medicina tradicional também cura doentes

O coordenador da medicina tradicional no Huambo, Fragoso Kulanda, disse ontem que a medicina tradicional está a contribuir para a solução dos problemas de saúde das populações na província.
Kulanda, que falava à margem da comemoração do Dia da Medicina Tradicional Africana, que decorreu na segunda-feira, no museu regional do Huambo, afirmou que, diariamente, regista-se muita afluência de doentes nos 74 postos de saúde tradicional controlados pela associação.
"Os nossos postos registam enormes enchentes de doentes, que procuram os serviços de medicina natural, para tratarem várias enfermidades, até mesmo as complicadas", realçou. Fragoso Kulanda apelou a todos os terapeutas tradicionais, que fazem vendas ambulantes de medicamentos, para evitarem esta prática, porque os raios solares podem diminuir as propriedades das plantas utilizadas para a cura.
Apelou aos terapeutas para melhorarem as técnicas de tratamento.
A associação provincial da medicina tradicional do Huambo foi criada em 2004 e controla mais de 200 filiados em toda a província.
* Com Estácio Camassete

Tempo

Multimédia