Províncias

Especialistas debateram investigação

Victória Quintas | Huambo

O papel da investigação agrária no combate à pobreza no espaço lusófono foi dos principais temas debatidos no primeiro Simpósio da Associação do Ensino Superior de Ciências Agrárias dos Países de Língua Portuguesa (ASSESCA-PLP) realizado no Huambo.

No encontro, promovido pela Faculdade de Ciências Agrárias (FCA) da Universidade José Eduardo dos Santos e pelo Instituto Superior Politécnico do Kwanza-Sul (ISPKS), participaram especialistas e técnicos agrónomos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, Timor-Leste e São Tomé e Príncipe.
 A vice-governadora do Kwanza Sul afirmou, na cerimónia de encerramento, que a realização simpósio demonstra o interesse em elevar o nível de conhecimentos científico nos países de língua portuguesa.
“É uma demonstração que a ASSESCA-PLP está preocupada e interessada no desenvolvimento da capacidade criativa e do espírito de investigação científica destinado a proporcionar melhores condições de vida das suas populações”, disse.
 Lourdes Veigas declarou que este tipo de iniciativas pode contribuir para os quadros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) encararem cada vez mais a ciência com seriedade.  “Este simpósio, cujos temas debatidos, conferem capital importância ao sector produtivo e económico dos nossos países constitui uma grande prova da necessidade comum, no âmbito da segurança alimentar da comunidade, visando o aumento do nível da qualidade de vida dos nossos povos”, realçou.   
Entre os temas em debate , estiveram as “Principais problemas da agricultura familiar no mundo e sua incidência em Angola” e “perspectiva camponesa sobre a evolução da agricultura”.
Foram igualmente debatido a “perspectivas do desenvolvimento da pecuária em Angola” e “importância da gestão florestal na segurança alimentar” foram alguns dos temas debatidos no encontro.

Tempo

Multimédia