Províncias

Estudantes e políticos trocaram experiências

Filipe da Silva | Huambo

Estudantes do Instituto Superior Politécnico Sol Nascente e políticos de diversos partidos radicados na província do Huambo estiveram reunidos terça-feira para falar sobre “Jornalismo e a Política” e o “Jornalismo e o Direito”.

Vista parcial da cidade do Huambo onde o estudantes e políticos debatem vários temas
Fotografia: Francisco Lopes | Huambo

O director da instituição, Inácio Valentim, disse que os debates entre os políticos e estudantes universitários visam reflectir sobre temas de diversas áreas do saber e pôr ao conhecimento do público alguns caminhos para uma saudável convivência social.
“Estamos no mês de África e a nossa instituição vive na esperança de ver este continente maravilhoso a prosperar, por isso colocamos em debate mais temas, para em conjunto reflectirmos sobre o que vai ser África daqui para frente”, disse.
O director provincial da Comunicação Social no Huambo, Luís Caetano, afirmou que  o jornalista deve andar ao lado do código de ética e deontologia profissional, para não descarrilar para um jornalismo ao seu jeito.  “O jornalista não pode dar como facto aquilo que não presenciou, deve descrever aquilo que é de interesse de todos e não fazer o trabalho com emoção, se não atropela não só aquilo que é seu trabalho, mas também dificulta o trabalho dos outros”, referiu.
Luís Caetano frisou que o jornalista não é um propagandista e aconselhou a ter cuidado com o material com que vai trabalhar e obedecer a uma postura correcta, indo mais ao fundo da matéria.
Sobre o jornalismo e o direito, Luís Caetano disse que os crimes como a calúnia e a difamação através da comunicação social devem ser punidos.
“Ninguém deve ser tratado como criminoso, sem antes se provar o crime”, acrescentou.
O jornalista José Pedro Sócrates, que falou sobre a comunicação e a política, disse que desde sempre o homem se preocupou em comunicar mas “é preciso saber como utilizar os meios de comunicação”.

Tempo

Multimédia