Províncias

Exploração ilegal de ouro leva Joana Lina a Samboto

Populares da aldeia de Samboto, município de Tchicala Tcholoanga, província do Huambo, estão a garimpar ouro numa mina localizada emTinguita. Neste local, decorrem trabalhos de prospecção de ouro, a cargo da empresa angolana So-Landa em parceria com investidores chineses.

Fotografia: Dr

Em face deste garimpo, a governadora do Huambo, Joana Lina, deslocou-se à referida mina, onde apelou aos habitantes locais para não impedirem os trabalhos de prospecção em curso, alegando que o garimpo impede a arrecadação de receitas. “Os mais velhos desta localidade estão a permitir que alguns cidadãos, sem alguma responsabilidade social , explorem ilegalmente ouro. Esta prática tem de parar imediatamente para que as autoridades competentes façam os trabalhos de prospecção e depois a exploração, pois trata-se de um bem do país”, sublinhou.
Habitantes de Samboto, aproveitaram a presença da governadora para apresentarem as suas preocupações. “Os nossos filhos não sabem ler porque aqui não há escolas nem emprego, por isso, facilmente mergulham no trabalho de garimpo de ouro”, disse um dos habitantes local em conversa com a governadora.
A nossa reportagem apurou que a empresa SoLanda está a terminar os trabalhos de prospecção, pelo que nos próximos dias vai entregar os resultados ao Gabinete Provincial de Geologia e Minas para a certificação e a autorização para a actividade de exploração.
A So-Landa conta com 30 funcionários angolanos, que estão a trabalhar na montagem dos equipamentos e prospecção, esperando aumentar a mão-de-obra para 100 trabalhadores.

Tempo

Multimédia