Províncias

Falha no sistema informático dificulta emissão de Bilhetes

Estácio Camassete e Mário Clemente | Huambo

Uma falha no sistema está a dificultar a emissão de Bilhetes de Identidade na cidade do Huambo e a criar enchentes nos outros postos instalados nos municípios.

Fotografia: JAIMAGENS

A avaria no sistema regista-se há uma semana e está a preocupar as pessoas que querem tratar a sua documentação e a criar enchentes no posto da vila da Caála.
O responsável do posto de emissão do Bilhete de Identidade, Garcia Watchivanga, disse que a falha se deve à avaria que se regista no servidor.Enquanto dura a falha técnica no posto principal, acrescentou, a emissão de bilhetes está a ser feita na unidade móvel, que funciona com algumas limitações, devido à sua pouca capacidade.
Antes desta falha técnica, o principal posto de emissão de bilhetes do Huambo atendia entre 300 a 400 pessoas, em média diária, contra 70 actualmente atendidas na unidade móvel.Garcia Watchivanga apela à calma e aconselha as pessoas a tratarem bilhetes nos postos alternativos do SIAC, Caála e Londuimbali.Cláudio Segunda, natural do Catchiungo, há mais de três dias que não consegue tratar o Bilhete de Identidade, por causa das enchentes, mas diz que não vai regressar sem o documento.
“Vou aguentar o tempo que for necessário, porque preciso do bilhete”, disse, olhando para a multidão que se aglomerou no único posto móvel em funcionamento no na cidade do Huambo. José Rafael, presente na fila, vem da comuna da Calima e diz que muita gente percorre longas distâncias para tratar o documento e quando não se consegue no mesmo dia criam-se muitos transtornos.

Procura de emprego


O director do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS) no Huambo disse que aumentou a procura de emprego  na província, principalmente no sector da construção civil e por parte de jovens.
Agostinho Amândio, que falava num seminário sobre certificação de competências profissionais, organizado pela Direcção Provincial do MAPESS, afirmou que" a concretização das políticas de valorização e iniciação dos recursos humanos no mercado de trabalho é importante em termos estratégicos por contribuir para a promoção da inovação e do conhecimento".
“O reconhecimento, a validação e a certificação de competências profissionais adquiridas ao longo da vida é uma das premissas para a promoção da competitividade em termos de recursos humanos no mercado de trabalho”, referiu o director do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social.
O MAPESS na província do Huambo, prosseguiu Agostinho Amândio, elaborou um projecto de regulamento de atribuição de carteiras profissionais, que pretende ver enriquecido com contribuições recolhidas em todos contextos para uma abordagem consensual.

Tempo

Multimédia