Províncias

Feitas milhares de ligações domiciliares

Victória Quintas | Huambo

O director da Empresa Nacional de Electricidade (ENE), no Huambo, Gilberto Pessoa, anunciou sexta-feira que a instituição vai efectuar, nos próximos tempos, perto de 10.500 novas ligações domiciliares e instalar 3.035 postes de iluminação pública.

Vista parcial da cidade do Huambo onde as ruas e casas passam a estar mais iluminadas
Fotografia: Santos Pedro

O director da Empresa Nacional de Electricidade (ENE), no Huambo, Gilberto Pessoa, anunciou sexta-feira que a instituição vai efectuar, nos próximos tempos, perto de 10.500 novas ligações domiciliares e instalar 3.035 postes de iluminação pública.
A aposta da empresa, disse o responsável, é o de efectivar, sem reservas, o programa de reabilitação, para que, até meados do próximo ano, sejam ultrapassadas as constantes restrições no fornecimento de energia à cidade, resultantes do mau estado dos cabos existentes. Gilberto Pessoa salientou que tem havido falhas no fornecimento de energia às residências, devido às avarias de algumas máquinas de produção e dos cabos condutores.
O director da ENE referiu que a rede é muita antiga, numa altura em que os consumos são cada vez mais elevados, o que faz com que os cabos já não suportem a carga. Para reverter o quadro, a empresa está a realizar acções de reabilitação dos cabos condutores de média e baixa tensão, para permitir uma melhor distribuição de energia à sede provincial e demais municípios.
A referida acção de reabilitação decorre numa altura em que os trabalhos a nível da barragem do Ngove, que vai abastecer as províncias do Huambo, Bié e parte da Huíla, estão na sua fase conclusiva. />Gilberto Pessoa referiu que o projecto de reabilitação da rede de distribuição de energia eléctrica, de média e baixa tensão, da cidade do Huambo, vai durar 18 meses e está orçado em cerca de 52 milhões de dólares. Nesta primeira fase, os trabalhos abrangem, além da capital provincial, a Caála.
O responsável referiu que, durante a semana, ainda se registou uma avaria num dos cabos de média tensão, que transporta energia para a parte alta da cidade, causando, deste modo, restrições no fornecimento do produto na referida zona. A rede eléctrica do Huambo, segundo Gilberto Pessoa, possui capacidade para transportar apenas seis quilowatts dos 16 que produz a partir dos grupos geradores instalados no bairro Benfica.
“Os cabos estão constantemente a rebentar, não suportam o consumo, devido ao seu tempo de trabalho”, disse, para adiantar que a actual rede de distribuição existe há mais de 30 anos, pelo que a necessidade da sua substituição.
O aparecimento de novos empreendimentos, a alteração dos hábitos dos consumidores, que possuem vários electrodomésticos, faz com que a infra-estrutura de electricidade não suporte a carga.
O director da ENE/Huambo referiu ainda que a empresa tem mais de 12.000 clientes cadastrados, mas boa parte deles furtam-se ao pagamento da energia que consomem, o que dificulta a gestão.

Tempo

Multimédia