Províncias

Ganhos sociais estão à vista na província do Huambo

António Canepa | Huambo

O ano de 2013 termina com um crescimento imparável, do qual a saúde e a educação constituem os principais indicadores, com a multiplicação de estabelecimentos de ensino e a expansão da rede sanitária.

No quadro da reconstrução em curso em todo o país província do Huambo confirma igualmente o surgimento de infra-estruturas
Fotografia: Jornal de Angola

A estratégia do governo da província possibilitou a inserção de cada vez maior número de crianças no sistema normal de ensino, com a execução do projecto de 26 salas de aulas, único no país, em todos os municípios.
Com este projecto, o Governo Provincial pretende inserir mais crianças no sistema, aumentar a qualidade de ensino e as condições de trabalho dos professores.
 Fruto deste investimento, a província do Huambo é hoje também destino de muitos estudantes, provenientes de outras províncias, à procura de melhores instituições e qualidade de aprendizagem.
O governador Faustino Muteka continua a apostar num ensino de qualidade na província, criando condições para elevar o nível de preparação dos seus docentes.
No Huambo estão em conclusão as obras de construção de 15 novas escolas e a reabilitação de dezenas de outras.
No quadro da reconstrução em curso em todo o país, a província do Huambo confirma igualmente o surgimento de infra-estruturas sociais, muitas erguidas de raiz, que mudaram para melhor a vida dos seus habitantes.
Nesta província, a esperança renova-se todos os dias. A circulação de pessoas e mercadorias é um facto. Aumentou a oferta dos serviços básicos às populações, facilitada também pela circulação regular do comboio dos Caminhos de Ferro de Benguela (CFB).
Surgiram novas estradas, pontes, escolas, hospitais e foram atingidos níveis de produção significativos para a oferta de produtos.
A maioria das vias de acesso foram reabilitadas e outras podem melhorar a circulação a partir do próximo ano.
                    
 Rede sanitária

O sector da saúde evoluiu mais que todos os outros. Os níveis de atendimento melhoraram, foram construídas unidades de referência em todas as sedes dos municípios e aumentou o número de técnicos especializados.
A execução do programa provincial de saúde “Uhayele Vimbo”, em português, significa “Saúde na Aldeia”, está a possibilitar aos cidadãos ter consultas médicas, mais próximo das residências.
O director provincial da Saúde, Frederico Juliana, confirmou que a ideia é levar os serviços médicos aos cidadãos, para que deixem de percorrer longas distâncias quando estão doentes.
Mais quadros da Saúde chegaram à província no ano de 2013, o que está a permitir também a prestação de um serviço de qualidade.
Em cada comuna e nas principais ombalas, foram construídos centros e postos de saúde, equipados com meios e medicamentos necessários.
No total a província conta agora com dez hospitais municipais, 11 centros de saúde e mais de 100 postos sanitários.Este ano ficou concluído o Hospital Municipal de Ecunha o que foi um ganho importante para as populações da região. Á água potável chegou a mais casas na província, e milhares de famílias passaram a consumir água potável, no âmbito do Programa Água para Todos.
 
 Água e Luz

A energia eléctrica chegou este ano a mais bairros e aldeias. A expansão da rede de distribuição de água à cidade do Huambo do permitiu a ligação de 19 mil condutas domiciliares e continua a ser um desafio para os próximos anos a expansão para outros bairros periféricos. O transporte de energia para os municípios do Londuimbali.
 Catchiungo e Tchicala Tcholohanga, para além das ligações domiciliares na cidade do Huambo são outro obras que o Executivo lançou este ano para melhorar a vida das populações do Huambo.
 O ano de 2013 foi também decisivo na dinamização do comércio rural, que está a possibilitar também aos camponeses e agricultores garantirem o sustento das suas famílias.
No Huambo estão também em curso vários projectos de âmbito central, cuja conclusão está agendada para o próximo ano.
A reabilitação das estradas Mungo/Calussinga, Bailundo/Luvemba/Cruzamento do Cassongue (Kwanza-Sul),Cachiungo/Chinhama, são outras vias que, após a sua conclusão, no próximo ano, vão permitir aos camponeses incrementar as suas actividades.

Tempo

Multimédia