Províncias

Governo amplia ligações domiciliárias

Mário Clemente| Huambo

O Governo da Província do Huambo vai reforçar, ainda este ano, a expansão da rede de distribuição de água a cerca de 19 mil ligações domiciliares nas cidades do Huambo e da Caála, avançou sexta-feira o ministro da Energia e Águas.

Vista parcial da cidade do Huambo onde decorrem acções destinadas a melhorar a qualidade de vida da população
Fotografia: João Soares

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, deu esta informação quando falava durante as visitas de constatação ao Centro de Produção de Energia Eléctrica da Barragem do Gove, à central térmica do Huambo, às subestações e aos centros de captação, tratamento e distribuição de água.
O ministro disse que o projecto de ampliação de ligações domiciliares precisa de ser executado com urgência para colocar uma rede de água que chegue às torneiras de todos os habitantes das cidades do Huambo e de Caála.
Outras acções importantes em curso têm a ver com a reabilitação da Estação de Tratamento de Água (ETA) do rio Culimahãla e a construção de mais um depósito de aproveitamento de água.
A par disso, está em curso a reabilitação de dois outros depósitos de aproveitamento, que vão permitir transportar mais água potável para o centro da cidade e aumentar o número de horas de abastecimento aos domicílios.
Ao nível das sedes municipais, referiu que há também acções de reabilitação dos sistemas de água, sendo que, neste momento, estão em curso obras de reabilitação do centro de distribuição da água do Catchiungo. Nas outras municipalidades foram já elaborados projectos com o mesmo fim. Quanto ao sector eléctrico, o ministro da Energia e Águas apontou o défice enorme no abastecimento, como um dos grandes problemas que o Huambo vive.
O ministro da Energia e Águas reconheceu que, neste momento, o Gove não está ainda a produzir a sua capacidade normal, devido ao nível baixo da albufeira, um problema que apontou como prioridade a resolver dentro de dias.
Desta forma, adiantou que tem de se compensar este défice com a injecção de mais capacidade de produção de forma a serem eliminados os défices na produção da energia. João Baptista Borges avançou a necessidade de se expandir a rede de distribuição para os novos bairros de forma a fornecer também energia às populações que vivem na periferia da cidade.
“Há necessidade de se fazer mais ligações domiciliares, por essa razão trouxemos os responsáveis das empresas do sector e de outros que vão ser criadas, no sentido de se assumir a responsabilidade em articulação com o poder local, para podermos aumentar a taxa de acesso da electricidade nas cidades do Huambo e da Caála”, referiu.
O ministro da Energia e Águas  referiu que nas sedes municipais há uma preocupação colocada pelo Governo Provincial que tem a ver com a renovação dos grupos geradores existentes, de forma a aumentar a regularidade no fornecimento de energia nas vilas.
João Baptista Borges deixou algumas orientações que vão constar no plano de trabalho conjunto, a ser acompanhado pelo Ministério de Energia e Água e pelo Governo local.
O ministro da Energia e Águas disse que são planos que compreendem algumas medidas para acelerar  acções já em curso e que precisam de ter outro dinamismo, em termos de implementação, e iniciar outras que têm a ver com a ampliação do acesso da população à electricidade e à água.

Tempo

Multimédia