Províncias

Governo dá uma nova imagem aos centros urbanos

Marcelino Dumbo | Huambo

O governo da província do Huambo investiu cerca de 370 milhões de kwanzas para as obras de requalificação das ruas, avenidas, melhoria dos jardins, passeios, lancis e o reinício da terceira fase do projecto cimento e tinta na cidade sede, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos 2013/2017.

Resultado dos investimentos do Governo Provincial são já visíveis nas principais artérias da cidade que passa a ter uma nova imagem
Fotografia: Jornal de Angola

O objectivo é melhorar a imagem da cidade e proporcionar uma vida mais saudável e condigna aos seus habitantes. Os resultados da empreitada começam a ser visíveis nas principais avenidas, praças, jardins e rotundas. Os trabalhos começam logo pela manhã cedo, com máquinas e homens a movimentar a terra.
Muitos edifícios estão a ser pintados, no quadro do mesmo programa e novas infra-estruturas estão a nascer. Várias vias são abertas e outras reabilitadas para reduzir o congestionamento do tráfego rodoviário na cidade e arredores.
 O director do Gabinete de Estudo, Planeamento e Estatística (GEPE) do governo do Huambo, Victor Chissingui, disse que no âmbito do Programa de Investimentos Públicos para 2013, foram gizados vários projectos para a mudança imediata da imagem da cidade.
“O programa estruturante da barragem do Ngove obrigou o Executivo angolano a fazer escavações de passeios, lancis e até o asfalto das ruas, para a instalação de obras de fibra óptica, energia, água e de telecomunicações, deixando a cidade com uma imagem pouco agradável”, notou.
 Os projectos contemplam as principais avenidas, assim como a construção de estradas alternativas, rotundas nas zonas identificadas, como nos bairros São João, São Pedro, junto da  passagem de nível, na cidade alta e nas imediações da antiga loja Sodispal.
 Estão igualmente em curso obras de engenharia na avenida do aeroporto Albano Machado e São Pedro, na via que liga a cidade do Huambo à vila da Caála e mercado da Quissala/Cemitério municipal estão também em curso. Victor Chissingui anunciou a execução de obras de melhoria de todos os jardins da cidade e a recuperação da antiga Lagoa da Estufa Fria. A empreitada contempla a instalação de cadeiras, baloiços, ginásios infantis públicos, contentores de lixo específicos, bicicletas, assim como o sistema de irrigação automática dos jardins. Obras no cemitério municipal do Huambo.  Novas obras estão a melhorar a zona envolvente do maior Cemitério Municipal do Huambo, com a construção de um parque de estacionamento para mais de 600 viaturas, um velório e um sistema de iluminação. As obras estão definidas para um horizonte temporal de quatro meses, com envolvimento das empresas de construção civil Angolaca, Monte Adriano e Omatapalo. Quanto ao projecto “Cimento e Tinta”, Victor Chissingui referiu que foi aprovado para a terceira fase um montante de 90 milhões de kwanzas, para a requalificação dos edifícios públicos e residências.
 “Durante o tempo de conflito armado, muitas avenidas, edifícios e residências foram afectados e ainda hoje são visíveis os vestígios e o governo da província pretende inverter o quadro, criando o projecto cimento e tinta que vai na terceira fase”, disse.
Os bairros do Comércio, Benfica, Académico e os da parte baixa da cidade mostram sinais de melhoria. Os trabalhos terminam dentro de dois meses e tratam das fachadas exteriores dos edifícios, para apagar as marcas da guerra, projecto enaltecido pela população. 
O projecto teve início em 2005 na cidade do Huambo e é extensivo às vilas dos municípios e respectivas comunas.
 Na primeira fase, o projecto beneficiou 102 moradias de cidadãos sem recursos em toda a província e abrangeu também as administrações dos municípios e comunas que funcionavam em condições menos dignas. 
O governo da província, através da Direcção das Obras Públicas, reabilitou e apetrechou na altura infra-estruturas administrativas dos municípios de Tchicala-Tcholohanga, Mungo e das comunas de Cambuengo, no Mungo, Ussoque, no Londuimbali, Sambo, em Tchicala-Tcholohanga e Chipipa.

Tempo

Multimédia