Províncias

Governo pede total responsabilidade

Mário Clemente| Huambo

O vice-governador do Huambo para o sector Político e Social, Guilherme Tuluca, exortou os pais e encarregados de educação a acompanharem cada vez mais o processo de aprendizagem dos filhos, para que estes possam alcançar o sucesso na escola.

Vice-governador Sampaio do Amaral exorta para uma participação mais activa de professores e alunos no sentido de se obterem bons resultados no sistema de ensino e aprendizegem a nível da província do Huambo
Fotografia: Francisco Lopes| Huambo

Guilherme Tuluka, que falava na abertura do encontro para avaliação da reforma educativa na província, disse ser necessária a mudança de atitude no trabalho docente para garantir uma educação de qualidade às crianças.
“É chegado o momento de avaliarmos o resultado global de todas as avaliações da reforma educativa, e assumirmos a responsabilidade de trabalharmos mais em prol da Educação, uma vez que aumentou o número de escolas e salas na província”, avançou.
No Namibe, já é uma realidade que crianças que terminem a segunda classe saibam ler e escrever, enquanto noutros pontos do país tal situação ainda é precária, disse.
"Vamos trabalhar com força para que o professor seja o primeiro a escrever correctamente, o que ajuda os alunos a fazer bem este exercício", defendeu o vice-governador da província do Huambo.
O encontro, promovido pela Direcção Provincial da Educação, visou apresentar os resultados obtidos da avaliação da reforma educativa e traçar metas para corrigir o que não se conseguiu, desde a sua aplicação. O director provincial da Educação, Manuel Sampaio do Amaral, reconheceu que a reforma mostra indicadores bons para a sua contínua aplicação e enumerou alguns vectores como essenciais para a qualidade de ensino e aprendizagem na província.
Sampaio do Amaral apontou a expansão da rede escolar, a melhoria e a qualidade do processo de ensino e aprendizagem, o reforço da eficácia do sistema da educação e a melhoria da sua equidade como pilares sobre os quais devem recair a responsabilidade do educador.
Os dados recolhidos mostram que o sistema apresenta-se bem, visto que a expansão da rede escolar abrange toda a província, embora existam ainda grandes dificuldades no que tange à melhoria da qualidade de ensino.
As Direcções das escolas e outros gestores escolares devem ter mais consciência do seu papel para mudar o quadro actual da situação da educação na província. Muitos alunos, cerca de 40 mil, terminaram o ensino primário e não têm possibilidade de chegar ao segundo ciclo, por não saberem aplicar os conhecimentos adquiridos nos níveis anteriores.
Os professores são transmissores de conhecimentos e devem perceber que as crianças têm de começar a mostrar a suas habilidades de leitura e escrita a partir da segunda classe.
“Se conseguirmos essa particularidade podemos dar passos largos naquilo que está veiculado como a qualidade de ensino na província”, rematou Sampaio do Amaral.

Tempo

Multimédia