Províncias

Governo reforça fiscalização de obras

Mário Clemente | Huambo

O Governo Provincial do Huambo vai reforçar os mecanismos de monitorização, fiscalização e inspecção das infra-estruturas comunitárias e sociais, com vista à preservação e protecção dos empreendimentos, anunciou o governador Kundi Paihama.

Estão em curso na província diversas acções de impacto social com destaque para a reabilitação e construção de infra-estruturas nas comunidades
Fotografia: Francisco Bernardo

O governador do Huambo considerou que a campanha se reveste de grande interesse, sobretudo numa altura em que a província aspira transformar-se numa região da mudança. Kundi Paihama referiu que a a mudança pressupõe o envolvimento de toda a sociedade civil, governantes, políticos, empresários, sector público e privado, dando o melhor de si, para que juntos se possa conseguir atingir tal objectivo, nos mais variados domínios.
A conservação e a protecção das infra-estruturas comunitárias e sociais do Huambo fazem parte de um programa de mobilização e sensibilização da população, para assegurar também a vigilância e o combate contra a vandalização e sabotagem do património.
Salientou que o país gasta muitos recursos financeiros na construção ou reabilitação de infra-estruturas para o desenvolvimento das ombalas, aldeias, comunas e municípios, dai que não se pode permitir que sejam destruídas ou vandalizadas. O governador reafirmou a decisão de não permitir que cidadãos imbuídos de espírito de má fé destruam jardins, parques infantis, iluminação pública, tubagem de água potável, centros de saúde, transportes rodoviários e o caminho-de-ferro.
O director do Instituto Nacional dos Caminhos-de-Ferro de Angola disse que as infra-estruturas deste sector têm sido as mais atingidas por actos de vandalismo, numa altura em que o Executivo desenvolve esforços para a sua reabilitação e modernização. Júlio Bango revelou que os praticantes das acções e vandalismo na província do Huambo cavam, cortam a fibra óptica soterrada, desparafusam as juntas dos carris, o que considerou grave, por ser uma situação que pode acabar em acidentes.

Tempo

Multimédia