Províncias

Hospitais e farmácias do Huambo estão preparados para o Cacimbo

Solange Castro|Huambo

Hospitais e farmácias da província do Huambo estão apetrechados para prestar um atendimento condigno à população em termos de assistência médica e medicamentosa, durante o Cacimbo, que vai de 15 de Maio até 15 de Agosto, quando se regista a maior parte das doenças respiratórios agudas, doenças infecciosas, sinusites, asma e alergias.

Durante o cacimbo muitas pessoas vão parar aos hospitais com doenças respiratórias
Fotografia: Jornal de Angola

Hospitais e farmácias da província do Huambo estão apetrechados para prestar um atendimento condigno à população em termos de assistência médica e medicamentosa, durante o Cacimbo, que vai de 15 de Maio até 15 de Agosto, quando se regista a maior parte das doenças respiratórios agudas, doenças infecciosas, sinusites, asma e alergias.
Neste período, o hospital pediátrico do Huambo atende, em média, cerca de 250 crianças por dia. A responsável da secção de pediatria, Berta Raul, disse ao Jornal de Angola que, nesta época, todo o cuidado é pouco e aconselha que se agasalhem as crianças como deve ser, para evitar as tosses, bronquites, asmas, sinusites e renites.
A médica referiu que, nesta época, as crianças são as mais vulneráveis e o hospital chega a internar mais de 50 crianças por dia, mas garantiu que as unidades sanitárias estão preparados, em termos de medicamentos e meios técnicos, para atender os vários casos que surgirem.
Três enfermeiros e um médico acompanham todos os dias os casos que entram no banco de urgência, mas a responsável considera ser um número muito aquém da expectativa, a julgar pelo número de doentes que acorrem ao hospital.
A reportagem do Jornal de Angola efectuou uma ronda por algumas farmácias da cidade e constatou que a maior parte delas estão apetrechadas com fármacos próprios para este tempo.
Rosalina Sasende, proprietária da farmácia Lomanda, localizada junto ao mercado municipal, disse que o estabelecimento tem os medicamentos mais requisitados para esta época. Acrescentou que, da nova remessa, constam as transpuminas, gotas nasais, descongestionante e antibióticos.
Celestina João, funcionária da Farmácia Reviver, adiantou que o seu estabelecimento dispõe de artigos antipalúdicos e mebocainas. “A farmácia possui muitos medicamentos, especialmente para os menores”, sublinhou.
O farmacêutico Honório Baptista, da farmácia Irmãos Inocentes, referiu que o seu posto optou por cêgripes, transpuminas em pomadas e supositórios, inaladores para asmáticos e alguns antitússicos.
Os especialistas chamam a atenção aos pais, no sentido de agasalharem bem as suas crianças, evitarem os banhos nocturnos, gelados e excesso de ar condicionado, seja nos carros ou em casa.
 

Roupas quentes
 

As boutiques, lojas e mercados estão a registar aumento da clientela que procura agasalhos. Cada um, de acordo com as suas possibilidades, procura comprar aquilo de que mais gosta e o que melhor fica ao seu filho.  Agostinho Alves, gerente de uma boutique, disse que, para esta Estação, a sua loja dispõe de várias confecções para todo o tipo de corpo e cintura. “Também temos cremes hidratantes para pele seca e para pele oleosa, desodorizantes para o cacimbo e ainda cremes exfoliantes para uma pele saudável, além de perfumes”, disse.
Nazaré Domingos, cliente, referiu que, durante o cacimbo, todas as cautelas para se evitarem certas doenças são poucas, sobretudo com as crianças, consideradas as mais vulneráveis.

Tempo

Multimédia