Províncias

Hospital de Ecunha precisa de obstetras

Justino Victorino | Ecunha

O Hospital Municipal de Ecunha, na província do Huambo, necessita com urgência de especialistas em obstetrícia para poder responder de forma mais adequada às solicitações diárias, disse ao Jornal de Angola a sua directora.

Parte frontal do hospital da Ecunha que realiza diariamente dezenas de consultas externas
Fotografia: Pedro Kutabiala

Júlia Chimuma revelou que a secção de obstetrícia realiza diariamente entre 20 e 25 consultas externas e que o atendimento se torna difícil devido à falta de médicos especialistas e de técnicos.
Entre as doenças registas com mais frequência no hospital, referiu, estão as diarreicas agudas, malária, parasitoses intestinais, hipertensão arterial e má nutrição, a que se juntam os acidentes de viação.
Os casos mais complicados são encaminhados para o Hospital Central do Huambo, onde existem melhores condições de tratamento.
A médica sublinhou que, apesar destas dificuldades, o atendimento melhorou consideravelmente em relação a anos anteriores devido às novas políticas desenvolvidas pelo Governo Provincial, principalmente no que diz respeito ao abastecimento regular de medicamentos, instalação de equipamentos sofisticados, meios de transportes e às consultas médicas de rotina efectuadas nas periferias.
O hospital, com 48 camas, tem dois médicos e 76 técnicos, entre enfermeiros, auxiliares de enfermagem e pessoal de apoio. “Precisamos de aumentar o número de pessoal para atendermos melhor nos serviços de medicina e pediatria e reforçar as enfermarias de adultos”, disse.
 Uma das apostas da Administração Municipal, acentuou, é expandir e melhorar os serviços em toda a circunscrição, principalmente as ombalas, pois a comuna do Chipeio tem um centro de saúde de referência e postos nas localidades com mais população.
Júlia Chimuna  disse desejar que, no quadro dos concursos públicos que se realizam anualmente, o Governo Provincial tenha em conta as necessidades da circunscrição, e que os serviços dos cuidados primários de saúde são cada vez mais procurados.
O hospital que está a ser construído na vila de Ecunha, com capacidade de 60 camas, vai melhorar o atendimento e a assistência médica. O município dispõe nos próximos meses de mais salas de aulas, no âmbito do programa de inserção do maior número de crianças no sistema geral de ensino.
O chefe de repartição municipal da Educação confirmou que na sede de Ecunha estão em fase de acabamento a construção de seis salas e as obras de reabilitação de outras.
Guilherme Canivete lembrou que, ao abrigo do Programa Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza, estão também a ser construídas várias casas sociais para quadros administrativos, professores e enfermeiros.
Neste ano lectivo, o município deve registar a entrada de 35.133 novos alunos, da iniciação ao secundário.
Ecunha tem 1.216 professores, que leccionam nas escolas da sede, comuna de Chipeio, ombalas e em algumas aldeias.

Tempo

Multimédia