Províncias

Hospital municipal do Bailundo precisa de técnicos de laboratório

Justino Vitorino | Bailundo

O hospital municipal do Bailundo, província do Huambo, necessita, com urgência, de técnicos de laboratório, disse ao Jornal de Angola o director daquela unidade, Evaristo Tchissende.

Mais de mil análises diversas são realizadas todos os dias no hospital do Bailundo
Fotografia: Mota Ambrósio

O hospital municipal do Bailundo, província do Huambo, necessita, com urgência, de técnicos de laboratório, disse ao Jornal de Angola o director daquela unidade, Evaristo Tchissende.
“O hospital realiza mais de mil análises diversas por dia, por isso, precisa de mais técnicos para dar resposta às necessidades diárias, tanto nas consultas externas, como para os pacientes internados”, referiu.
O hospital do Bailundo tem dois laboratórios de análises clínicas, mas conta com poucos técnicos, que são submetidos a intensa carga de trabalho, contrariando as normas laborais, disse Evaristo Tchissende.
O responsável acrescentou que, dada a intensidade de trabalho, chega uma altura em que os técnicos já não dão conta do recado, devido ao desgaste físico, o que se reflecte muitas vezes nos resultados finais.
Evaristo Tchissende espera que esta situação seja ultrapassada nos próximos meses, com o recrutamento de novos funcionários na função pública, em especial no ramo da saúde.
Além da falta de técnicos de laboratório, o Bailundo precisa de um hospital de construção definitiva, onde possa integrar todos os serviços médicos, pois o actual funciona em naves, disse Evaristo Tchissend­e­, acrescentando que muitos pacientes são atendidos no hospital da Missão Evangélica do Chilume.Em termos de recursos humanos, o hospital trabalha com dois médicos angolanos e três cubanos. Recentemente recebeu um médico haitiano e os restantes são auxiliares de enfermagem, entre técnicos médios e pessoal administrativos, num total de 507 funcionários.

Tempo

Multimédia