Províncias

Huambo acolhe jornadas de jovens da Igreja Católica

Adolfo Mundombe | Huambo

Jovens de Angola e de São Tomé e Príncipe participam desde quarta-feira no Huambo nas Primeiras Jornadas Nacionais da Juventude Católica, que decorrem até ao dia 30 deste mês, organizadas pela Comissão Episcopal de Juventude da CEAST, com apoio do secretariado nacional da Pastoral Juvenil.

Sob o lema “Jovens sede testemunhas do amor de Cristo”, o encontro reúne perto de 3.000 jovens fiéis de diversas arquidioceses e dioceses dos dois países,  que vão trocar experiências sobre a mensagem evangélica.
A realização de catequeses, palestras, celebrações eucarísticas, vigílias, visitas aos doentes e debates sobre temas como “Juventude e a boa partilha na sociedade, “Uso das drogas e o excessivo consumo de álcool no seio da Juventude” fazem parte da agenda.
As Jornadas Nacionais da Juventude Católica são um desenvolvimento local das Jornadas Mundiais da Juventude, evento religioso instituído pelo Papa João Paulo II em 20 de Dezembro de 1985, que reúne milhões de católicos de todo o Mundo, sobretudo jovens, e se consubstancia num encontro entre os jovens e o Papa.
O coordenador da actividade, Dom Zeferino Zeca Martins, afirmou que as jornadas representam uma oportunidade de vivenciar as experiências das Jornadas Mundiais da Juventude a nível local, com o objectivo de reacender em cada jovem a chama do amor de Cristo e demonstrar a força da juventude na transformação da sociedade.“Queremos fazer da juventude futuros construtores da paz no seio da sociedade angolana, porque somos vários povos que queremos ser um só povo”, disse o prelado.
O ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, apelou aos jovens, durante a abertura das jornadas, a observarem  os valores cívicos e morais para construção de uma sociedade sã e  próspera.
 Gonçalves Muandumba disse que Angola tem uma juventude vibrante, comprometida com Deus, consigo própria, com a família, professores, catequistas, superiores hierárquicos, colegas, com a pátria e com o povo.
“Falar do compromisso é falar de responsabilidade, respeito pela  observância dos valores plasmados pela sociedade, que têm em conta os direitos e deveres dos cidadãos, a sua manutenção, estabilidade e  reprodução”, salientou.
 O ministro lembrou que a independência, conquistada pelos angolanos com muito sacrifício há cerca de 40 anos, foi o maior acto de cidadania, que tem que ser  preservada e honrada diariamente, através de atitudes de cada um,  acções e comportamentos dignos, que ressaltam o respeito e o amor ao próximo.  O governante salientou que primeiras jornadas nacionais da juventude são uma oportunidade para o Governo renovar o compromisso que tem com o povo e com os jovens em particular.

Tempo

Multimédia