Províncias

Huambo e Bié multiplicam sementes

António Canepa | Huambo

Membros de cooperativas agrícolas das províncias do Huambo e Bié constituíram em assembleia-geral uma cooperativa denominada “Sementes do Planalto”, que é apoiada pela Organização Não Governamental espanhola CODESPA.  

A criação da cooperativa resulta da fraca produção dos camponeses devido à falta de qualidade das sementes lançadas à terra
Fotografia: Nilo Mateus

A criação da cooperativa agrícola surge com o objectivo de se produzir na região sementes de qualidade, além de facilitar os camponeses a ultrapassarem dificuldades na comercialização dos produtos para contribuir na diversificação da economia.
A cooperativa agrícola criada agrupa pequenos e médios multiplicadores de sementes da região e vai actuar como parceiro directo dos Governos Provinciais do Huambo e do Bié, nos seus programas de extensão rural.
A criação da cooperativa surge em consequência da fraca produção apresentada pelos camponeses devido à falta de qualidade das sementes. Os constituintes acreditam na melhoria da actual situação uma vez que esperam ver melhorados os problemas das sementes das culturas de milho, feijão e soja.
O governador provincial do Huambo, Kundi Paihama, considerou importante a constituição de uma cooperativa agrícola que cuida da multiplicação de sementes a nível do Planalto Central, porque vai contribuir na diversificação da economia nacional e melhorar a dieta alimentar dos angolanos.
A iniciativa tem por fim proporcionar sementes de alta qualidade, como um instrumento importante na produção de alimentos, aumentar os rendimentos agrícolas e contribuir para o desenvolvimento económico do país e da região em particular.
“Esta iniciativa é bem-vinda, não só porque a venda das sementes no Planalto Central vai ser mais barata e facilitada, mas porque vocês, em conjunto, estão a dar uma contribuição inestimável na diversificação da economia nacional”, considerou.
A semente de boa qualidade constitui um requisito fundamental para elevar a produção e a produtividade de alimentos e daí a importância da constituição de uma cooperativa agrícola de multiplicação e melhoria de sementes na região para garantir a segurança alimentar. “A falta de sementes de qualidade é um indicador de insegurança alimentar e, por conseguinte, toda a iniciativa que venha aumentar a produção é de interesse do nosso Governo”, disse.
Depois da constituição da cooperativa, os agentes têm agora à sua disposição mais de 100 hectares para a multiplicação de sementes de milho, feijão e soja.
O delegado da CODESPA em Angola, Juan Molina Ramón, disse que a cooperativa vai permitir melhorar as condições de vida dos camponeses nas suas comunidades e contribuir para o desenvolvimento económico do país. A CODESPA trabalha em Angola há cinco anos, nas províncias do Huambo e Bié, na área de segurança alimentar e fomento da produção nacional.
A instituição trabalha actualmente com mais de três mil famílias nos municípios do Bailundo, Caála, Chicala Cholohanga, no Huambo, e nos municípios do Andulo e Catabola, no Bié.
A CODESPA é uma ONG espanhola que presta assistência social no país e no estrangeiro em colaboração com outras organizações não governamentais, em busca de respostas no sector alimentar, saúde e emprego.
Entre os seus programas, constam a procura de mecanismos para melhorar as práticas agrícolas, através da metodologia das escolas de campo.

Tempo

Multimédia