Províncias

Idosos vítimas de maustratos afluem aos lares

Adolfo Mundombe | Huambo

A directora provincial da Assistência e Reinserção Social no Huambo, Maria Lucília, manifestou ontem preocupação com o elevado índice de casos de abandono de idosos, maustratos e acusações de feitiçaria por parte de familiares. 

Fotografia: JAIMAGEM

Maria Lucília salientou que estes são os principais motivos que levam os idosos a procurar acolhimento em lares. “Todos os meses, a Reinserção Social recebe idosos de vários pontos e são encaminhados para os três lares existentes na província”, salientou.
A directora da Assistência e Reinserção Social aconselha os familiares a cuidarem dos idosos. Acrescentou que já houve casos em que os filhos levaram os pais à Direcção Provincial da Reinserção Social para serem internados, mas por via de aconselhamento foi possível manter os idosos na ambiente familiar. Maria Lucília reiterou que o lugar do idoso é no meio familiar e só no caso de não ter alguém que o apoie é que deve acolhido em instituições do Estado.  A província do Huambo tem três lares de idosos, denominados Ongundji Yomuenho, Lar da Chivela e do Canhe, para maiores de sessenta anos, que gerem orçamento próprio e recebem também apoio de pessoas e instituições singulares.
Ao todo, 182 idosos estão alojados nos três lares da província, com assistência médica e medicamentosa garantida  de acomodação, vestuário, higiene pessoal e passeios turísticos e também participam em actividades artesanais e praticam horticultura. 

Tempo

Multimédia