Províncias

Implementada na faculdade a disciplina de aquicultura

A Faculdade de Medicina Veterinária, da Universidade José Eduardo dos Santos, na província do Huambo, vai pela primeira vez ministrar o curso de aquicultura, cujas inscrições começaram quarta-feira encerram no próximo dia 21.

Aquicultura é considerada um curso inédito
Fotografia: EDIÇÕES NOVEMBRO

O decano da Faculdade, Fernando Maia, disse estarem criadas as condições para a implementação do curso. As aulas teóricas começam a 3 de Abril e as aulas práticas têm lugar na Estação Experimental da Sacaála, na periferia da cidade do Huambo, bem como nas estações das províncias de Malanje e Cuanza Norte, no âmbito de uma parceria entre os Ministérios do Ensino Superior e das Pescas.
Fernando Maia salientou que a criação do curso, com duração de cinco anos, reflecte o crescimento global e nacional da aquacultura, seguido da estabilização da pesca industrial, do potencial de produção de peixe no país e da necessidade de organização  e profissionalização da cadeia produtiva, para o desenvolvimento desta actividade.
O decano sublinhou que o curso de licenciatura em aquicultura visa formar especialistas  na produção de organismos aquáticos, interligando aspectos económicos, comerciais, biológicos, ambientais e tecnológicos. A criação deste novo curso na instituição, de acordo com Fernando Maia, demonstra o empenho da Universidade José Eduardo dos Santos em atender uma das áreas prioritárias para o Governo, na actual fase de diversificação da economia.
“É um curso inédito em Angola que, por sua vez, vai especializar mão-de-obra para um mercado em ascensão no país e no Mundo, relacionando a produção de organismos aquáticos (peixes, crustáceos, moluscos e vegetais) de forma diferente da actividade pesqueira, voltada para a extracção”, realçou.
Em funcionamento desde 2010, a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade José Eduardo dos Santos, a única do país nesta especialidade, possui 43 docentes angolanos e cubanos. Desde a sua criação, formou cerca de 250 especialistas.

Tempo

Multimédia