Províncias

Indústria metalo-mecânica em Novembro no Huambo

A província do Huambo vai contar, a partir de Novembro deste ano, com uma nova indústria metalo-mecânica, na zona do KM-11, no município da Caála. A primeira pedra para a construção do empreendimento foi colocada quinta-feira pelo governador Fernando Faustino Muteka.

A província do Huambo vai contar, a partir de Novembro deste ano, com uma nova indústria metalo-mecânica, na zona do KM-11, no município da Caála. A primeira pedra para a construção do empreendimento foi colocada quinta-feira pelo governador Fernando Faustino Muteka.
Vocacionada para a transformação de metal, o projecto está avaliado em 6,2 milhões de dólares, assegurados pela Agência Nacional de Investimento Privado (ANIP) e planeado pelo Ministério da Indústria, em colaboração com o governo do Huambo.
O administrador da área electrotécnica da empresa construtora do projecto, AGROTEC, Eduardo Jorge Marques, disse que a nova unidade vai dedicar-se fundamentalmente à transformação do metal, desde as placas de metal, que vão servir de matéria-prima, sobretudo o aço, cobre e ferro.
“É a partir daí que toda transformação será feita, desde a construção de um simples garfo até às outras estruturas derivadas do metal, como a construção de turbinas hidroeléctricas”, disse o administrador  Eduardo Marques.
O responsável avançou que o projecto está planeado para três fases, sendo que a primeira arranca com uma área de 3.700 metros quadrados cobertos, gerindo 84 postos de trabalho. As duas outras fases vão absolver 174 pessoas, preferencialmente 90 por cento de mão-de-obra local.
A unidade fabril, segundo Eduardo Marques, vai trabalhar também na formação socioprofissional de expatriados, principalmente na especialidade da indústria metalo-mecânica, num período de um ano.
O director provincial da Indústria, Geologia e Minas, Manuel Chieke, disse que o lançamento da primeira pedra para a construção de mais uma indústria na província constitui motivo de satisfação, no sentido de que marca o início da fase de reindustrialização da província.
“É uma forma de repor a potencialidade do parque industrial produtivo do Huambo, que já foi um dos maiores do país”, disse o director da Indústria, Geologia e Minas.

Tempo

Multimédia