Províncias

Ingresso de novos professores constitui destaque

O ingresso de 5.766 novos professores, à luz do concurso público realizado este ano, constitui, na província do Huambo, motivo de maior destaque, durante o ano 2010.

Ingresso de novos professores visou contribuir para o melhoramento da qualidade de ensino na província
Fotografia: Jornal de Angola

O ingresso de 5.766 novos professores, à luz do concurso público realizado este ano, constitui, na província do Huambo, motivo de maior destaque, durante o ano 2010.
Neste concurso, a província do Huambo apurou 6.100 candidatos, igual número de vagas atribuídas a esta região pelo Executivo, mas foram apurados apenas 5.766.
Do total dos professores admitidos (5.766), 3.799 tiveram como destino o ensino primário, 1.443 o primeiro ciclo e 524 o segundo ciclo. O director provincial da Educação, Ciências e Tecnologia no Huambo, Manuel Sampaio do Amaral, informou que o ingresso deste efectivo permitiu o aumento do número de professores para 21.425 docentes.
No quadro do Programa de Investimentos Públicos (PIP), no período 2000 a 2010, foram construídas e apetrechadas, na província do Huambo, 321 escolas, número que corresponde a 1.703 salas de aula e reabilitadas outras 75 escolas, com um total de 491 salas.
Na vertente de ampliação da rede escolar para o período 2011/12, estão programadas a construção de 43 novas escolas, num total de 590 salas de aula. No ano lectivo 2010, foram matriculados 874.429 alunos, 601.685 do sexo masculino e 272.744 do feminino, contra 850.204 em 2009. Referiu que o ingresso de novos professores para o sector visou essencialmente contribuir para o melhoramento da qualidade de ensino na província e reduzir o número de crianças em idade escolar fora do sistema e diminuir o elevado número de alunos por turma.
Mesmo com a entrada de novos professores ainda continua a assistir-se ao clamor das autoridades   administrativas nos municípios, comunas e aldeias. A fuga de professores nestas zonas ainda é notória, por alegada falta de condições de habitação e transporte.
O governador Fernando Faustino Muteka traçou algumas medidas administrativas para pôr cobro à situação. Neste quadro, apelou aos sobas para informarem regularmente as autoridades sobre a presença do professor na localidade e na sala de aula e a criação de condições mínimas nas localidades para a sua acomodação.
A situação do sector da Educação no Huambo ainda é critica, caracterizada pelo insuficiente sistema de gestão, com ausências constantes e injustificada dos docentes, fruto da inexistência de uma inspecção actuante.
A situação obrigou, em Setembro último, o governador do Huambo, Fernando Faustino Muteka, a proceder à remodelação total da direcção provincial da Educação, com a nomeação de Manuel Sampaio do Amaral, em substituição de Felisberto Mona.
A remodelação na direcção do sector da Educação esteve inserida na necessidade de ajustamento dos quadros, para imprimir uma dinâmica que corresponda às transformações que se operam no país.
A situação do sector da Educação na província do Huambo no presente ano foi também considerada pelo governador Fernando Faustino Muteka “muito crítica”, por ocasião das celebrações do Dia Mundial do Professor, assinalado a 5 de Outubro.
Na ocasião, Faustino Muteka afirmou a necessidade de todo o esforço e capacitação serem direccionados no sentido de se marcar uma viragem no sector, com incidência nos principais aspectos inerentes ao processo de ensino e aprendizagem.
Deverá ser este o quadro a ser encarado como nova realidade a partir de 2011 na província do Huambo e para isso é fundamental o envolvimento de todos os intervenientes sociais, para que se possam criar sinergias que permitam, de forma gradual, a materialização dos objectivos que o Executivo angolano se propõe implementar no tocante à politica educativa.

Tempo

Multimédia