Províncias

Instituto Superior Privado arranca neste ano lectivo

Mário Clemente| Huambo

O Instituto Superior Politécnico das Humanidades e Tecnologias Ekuikui II, adstrita à Universidade Lusófona de Portugal, tem 700 vagas disponíveis para formar os primeiros alunos em diversas especialidades. 

Estudantes do ensino superior passam a ter mais alternativas na escolha dos cursos
Fotografia: Dombele Bernardo

O Instituto Superior Politécnico das Humanidades e Tecnologias Ekuikui II, adstrita à Universidade Lusófona de Portugal, tem 700 vagas disponíveis para formar os primeiros alunos em diversas especialidades. 
O coordenador administrativo do ISUP Ekuikui II, Carlos Brito, disse que o principal objectivo da criação da instituição privada de ensino superior no Huambo consiste em corresponder às necessidades da juventude, que enfrenta dificuldades em estudar na universidade pública, devido à limitação dos cursos ministrados na província.
Outro objectivo, segundo Carlos Brito, reside na formação de jovens e adultos que trabalham e contribuir para a valorização dos recursos humanos da província.
A instituição vai formar bacharéis nos cursos de Comunicação Aplicada, Contabilidade e Administração, Informática de Gestão, e licenciaturas em Educação Física e Desporto, Engenharia Civil e Informática.
O académico afirmou que a introdução do curso de Engenharia Civil se destina a colmatar uma lacuna que a província apresenta no ramo da construção e obras.
 “Neste momento, a maioria dos técnicos que trabalham em Angola no ramo da construção civil são estrangeiros. Acreditamos que, de forma gradual, vamos formar quadros angolanos especializados, com a pretensão de substituir, progressivamente, os estrangeiros”, sublinhou. Dentro dessa mesma perspectiva, assegurou que a instituição pretende preencher o quadro orgânico com muitos docentes angolanos.
O Instituto Superior Politécnico das Humanidades e Tecnologias Ekuikui II é um projecto luso-angolano, patrocinado pela Universidade Lusófona de Portugal, que lecciona no Brasil, Cabo Verde, Guiné Equatorial e Moçambique.

Tempo

Multimédia