Províncias

Mais advogados no Huambo

Pelo menos 70 cédulas, 12 das quais definitivas, foram outorgadas ontem na província do Huambo a igual número de advogados pelo Conselho Provincial da Ordem dos Advogados de Angola.

Novos advogados no mercado de trabalho
Fotografia: Arão Martins

Os 12 novos advogados estagiaram durante 18 meses sob escudo da Ordem dos Advogados de Angola, além de terem beneficiado de uma capacitação intensiva no Centro de Estudos e Formação de profissionais do ramo.
O acto contou também com a presença do vice-reitor da Universidade José Eduardo dos Santos para Cooperação, Armindo Jelembi, de representantes dos magistrados judiciais e do Ministério Públicos e de advogados, entre outros convidados. Na ocasião, foram também outorgadas 48 cédulas para advogados estagiários. Os novos advogados, numa mensagem lida por Adélia Cuvango, realçaram que longe de significar o fim do percurso a conclusão do estágio representa o “início de uma jornada árdua, que se vai consubstanciar na promoção da legalidade”.
A mensagem reafirma o compromisso com o dever de fortalecer a justiça, por ser o primeiro elemento comprometedor da actividade profissional do advogado. “O advogado é um profissional de direito, livre e independente, cujo exercício não é tarefa de curiosos e imitadores, mas daqueles que munidos de instrumentos científicos, académicos e personalidade integra e idónea a que se lhes confere tal nobre missão”.
Já o vice-presidente do Conselho da Ordem dos Advogados de Angola na província do Huambo, Crescenciano Sapi, considerou importante o facto de ingressarem novos profissionais e assim aumentar a capacidade de resposta numa área fundamental da vida da província e do país. Com a entrega destas 12 cédulas definitivas, eleva-se para 60 o número de advogados na província, enquanto o de estagiários passou para 121.

Tempo

Multimédia