Províncias

Mais de meio milhão de crianças matriculadas em escolas públicas

Justino Vitorino |Huambo

Mais de meio milhão de crianças em idade escolar foram matriculadas em escolas públicas na província do Huambo, nos últimos sete anos, fruto do aumento do número de professores

Cada vez mais alunos vão à escola pela primeira vez em todo o país
Fotografia: Jornal de Angola

Mais de meio milhão de crianças em idade escolar foram matriculadas em escolas públicas na província do Huambo, nos últimos sete anos, fruto do aumento do número de professores, que duplicou, graças ao esforços levado a cabo pelo governo na sensibilização de jovens dispostos a seguirem a carreira do magistério.
O facto foi anunciado ontem, na cidade do Huambo, pelo ministro da Educação, António Burity da Silva, durante o acto central da abertura do ano lectivo de 2010.
Na ocasião, o ministro disse que apesar de haver ainda, nesta província, crianças fora do sistema de ensino, o Huambo é uma das que, em seis anos, quase duplicou o número de alunos matriculados no ensino primário, tal como as províncias de Luanda e do Bié.
O titular da pasta da Educação sublinhou que entre 2002 e 2008, o número de professores controlados pelo sector passou de 83.601 para 180 mil, devido à valorização da carreira docente que se verificou neste período, durante o qual o governo procedeu a um acréscimo nos salários na ordem dos 174,14 por cento, pressupostos que fizeram com que a carreira docente se tornasse hoje mais atractiva do que nos anos anteriores.
Por este facto, o governante disse que só no presente ano lectivo mais quatro mil novos professores estão a entrar para o ensino primário, mediante a realização dos concursos públicos na província do Huambo. Ainda neste ano lectivo, 1.500 novos docentes vão entrar no sistema de ensino para darem aulas no primeiro ciclo do ensino secundário e 600 para o segundo ciclo.
 “O objectivo é manter a taxa geral de crescimento das instituições de formação de professores em todo o país, de modo a alargar o acesso de mais alunos no sistema normal de ensino e melhorar a sua qualidade,”disse.
Em 1998 estimava-se que houvesse, em todo país, três milhões e meio de crianças e jovens, dos 7 aos 14 anos de idade, fora do sistema educativo, sendo que, nos dias de hoje, pelo menos um em cada três angolanos está matriculado, segundo dados estatísticos avançados pelo ministro da Educação.
Burity da Silva assegurou que para o ano de 2010,o sector tem como prioridade a promoção das condições de ensino em Angola e elevar a qualidade do ensino, tendo em atenção os documentos orientadores já elaborados pelo Governo, que visam a Reforma Educativa em todos os níveis.
Para este ano lectivo o Governo pretende, também, levar a cabo a informatização do sector, a elaboração do estatuto do professor, prosseguir com as reformas já iniciadas e integrar todas as crianças deficientes no ensino regular, entre outras prioridades.
O acto da abertura nacional do ano lectivo contou com a presença de membros do governo do Huambo, directores nacionais e provinciais, directores de escolas, professores, encarregados de educação, representantes das autoridades tradicionais, partidos políticos e das organizações não governamentais sedeadas na província

Tempo

Multimédia