Províncias

Mais pessoas alfabetizadas

Adolfo Mundombe | Huambo

O chefe de repartição do ensino e alfabetização escolar da direcção provincial da Educação do Huambo, José Chamuene, disse sábado que o desenvolvimento socioeconómico do país está a originar aumento significativo de adultos a aprender a ler e escrever.

O chefe de repartição do ensino e alfabetização escolar da direcção provincial da Educação do Huambo, José Chamuene, disse sábado que o desenvolvimento socioeconómico do país está a originar aumento significativo de adultos a aprender a ler e escrever.
De acordo com o responsável, tendo em conta a nova realidade do país e pela procura das salas de alfabetização, o governo local viu-se obrigado a realizar uma série de acções de formação para capacitar metodologicamente os alfabetizadores dos 11 municípios da província.
José Chamuene garantiu que uma das duas acções de capacitação previstas para este mês já arrancou, sexta-feira última, na cidade do Huambo. A mesma visa relançar o programa de alfabetização e recuperação do atraso escolar nos adolescentes, jovens e adultos, que não tiveram oportunidade de frequentar ou concluir, na idade adequada, o ensino primário ou secundário.
A formação em referência tem duração de uma semana e participam nela 549 alfabetizadores, dos quais 466 foram seleccionados no suporte da quota nacional. A acção formativa conta com o apoio de parceiros sociais, designadamente, igrejas das distintas denominações sedeadas em vários municípios, ONG, Forças Armadas, Polícia Nacional, as brigadas Deolinda Rodrigues, afecta à OMA, e Hoji Ya Henda, da JMPLA, autoridades tradicionais e instituições públicas e privadas.
Para este ano, José Chamuene informou que a repartição prevê, com o apoio dos parceiros, alfabetizar um total de 16.470 alunos a nível da região.
No âmbito da realização da reforma educativa, saliente-se, o Executivo gizou políticas integradas e sustentáveis, que visam garantir a redução do analfabetismo e melhorar a qualidade do ensino.
Para esta batalha, iniciada em 2001 e com 2015 como meta, as autoridades contam com a participação de parceiros sociais para o avanço do sistema de educação.
José Chamuene disse que o referido programa, em termos práticos, teve o seu início em 2007 e, até agora, foram já realizados os módulos um e dois, bem como o método cubano “Sim, eu posso”, que utiliza meios audiovisuais de fácil aprendizagem para os alunos.

Tempo

Multimédia