Províncias

Médico aconselha produtos naturais

Adolfo Mundombe | Huambo

O médico naturopata e especialista em nutrição Gabriel Viva considerou na semana finda, na cidade do Huambo, a infertilidade masculina e feminina um caso de saúde pública no país e chamou atenção para uma alimentação cuidada e o consumo de produtos naturais e frutos silvestres.

Está na forja a criação de indústrias de transformação de plantas medicinais em fármacos
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

O médico fez estas considerações durante a apresentação da revista “Viva”, onde apresenta a sua tese de pesquisa sobre a infertilidade masculina e feminina no país e aconselha os cidadãos a primarem pelo consumo de produtos derivados do campo e alguns silvestres, com capacidade de cura, como o maboque e o lohengo, entre outros.   
Na obra, com 32 páginas, o autor retrata com profundidade o tema relacionado com uma das causas de muitas aflições das famílias angolanas, a infertilidade, e apresenta algumas soluções, que, de acordo com as suas pesquisas, passam por uma alimentação bem cuidada e o consumo abundante de frutas e seus derivados.
“Infertilidade masculina e feminina, causas e consequências” é o título do trabalho, publicado na revista Viva, com pendor puramente científico, que, segundo o autor, vai ajudar muitas famílias a encontrarem soluções para muitos problemas, através da cura com produtos do campo e da terapia.
Gabriel Viva disse que a infertilidade masculina e feminina no nosso país já é uma das preocupações da saúde pública, através de várias pesquisas feitas, por isso salientou ser necessária a sua prevenção.
O médico naturopata disse que a primeira edição da revista “Viva”, com 32 páginas, foi escrita a pensar no problema que aflige famílias angolanas, a ausência da geração de filhos, que é também uma das causas da distorção dos lares.
O autor da revista medicinal disse que numa primeira fase foram produzidos 2.500 exemplares, editados pela Editora Gira África, na África do Sul.
O inspector provincial da medicina tradicional e natural no Huambo, Manuel Guerra Tchamale, presente no acto da apresentação da obra, disse que com o uso de plantas naturais e cientificamente identificadas se trata várias doenças, como a infertilidade.
“Estamos a trabalhar no sentido de haver uma simbiose entre a medicina moderna e  natural e tradicional e a criar jardins botânicos com objectivo de termos no país indústria transformadora de plantas medicinais em medicamentos, para a cura de determinadas doenças”, realçou.
Gabriel Viva nasceu no Huambo, aos 28 de Fevereiro de 1974. Fez o ensino médio em Luanda e o curso superior de Fitoterapia e Homeopatia na Universidade Federal de Viçosa, no Brasil. Fez o curso de Medicina Tradicional Chinesa (Terapia e Acupunctura) na Universidade de Macau. 
Actualmente, é vice-presidente do Conselho de Medicina Natural e Tradicional e dono da revista Viva, que visa a divulgação da medicina natural em Angola.

Tempo

Multimédia