Províncias

Melhora o uso de sementes agrícolas

Mário Clemente| Huambo

Os camponeses, agricultores e redistribuidores da província do Huambo passam dentro em breve a fazerem melhor uso das sementes agrícolas após terem concluído ontem um seminário metodológico sobre a matéria.

Camponeses do Huambo agora lançam sementes no terreno com mestria o que resulta em bens agrícolas de melhor qualidade
Fotografia: Venâncio Amaral

O seminário, promovida pela direcção provincial da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural, em parceria com uma empresa privada, destinou-se a promover o uso correcto de artigos agrícolas.
O seminário subordinou-se ao tema “Para o Aumento da Produção, Produtividade e da Segurança Alimentar, Capacitemos os Camponeses, Agricultores e Redistribuidores sobre o Uso Correcto de Insumos Agrícolas”.
O director provincial da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural do Huambo, Emitério Tiago, disse ser necessário municiar os principais actores da produção agrícola de conhecimentos elementares sobre o uso correcto de todos ingredientes que concorrem para o sucesso desta actividade.
O director provincial declarou ser desta forma que se pode tirar melhores benefícios dos poucos recursos que se tem, para elevar a produção e a qualidade dos bens produzidos, sem deixar de proteger o meio ambiente, assegurar a vida e a saúde dos consumidores.
Emitério Tiago referiu que os temas abordados contribuem em grande medida para evitar muitos erros que hoje vivem os países com uma agricultura bastante avançada.
Salientou que se utilizam mal os pesticidas correm-se grandes riscos da provocação de danos ao ambiente, com destaque para a degradação dos recursos naturais, contaminação dos solos, água, flora e da fauna, bem como causar desequilíbrios biológicos e ecológicos. Domingos David, administrador de uma das empresas promotoras do seminário, disse que o comércio está sempre no princípio e no fim de qualquer processo produtivo, por ser o motor de rearticulação da economia, pois fornece os bens, equipamentos e materiais subsidiários para a produção.
Nesta perspectiva, referiu, as duas empresas acima citadas, estão no mercado do fornecimento de insumos agrícolas, desde 2004, e entendem que a sua função não deve apenas cingir-se na comercialização, mas também na componente pedagógica.
Por isso, disse David Domingos, os camponeses e agricultores são informados e formados, para que a venda e aplicação sejam feitas segundo as recomendações que protegem a saúde e a vida das pessoas.
O representante da União Nacional dos Agricultores e Camponeses de Angola (UNACA) no Huambo, Abraão Fernando, considerou o seminário como uma ferramenta para se aprender novos métodos de trabalho e dar aos homens do campo outras fórmulas de trabalho, no sentido de ter uma produção de qualidade.
No encontro, os participantes discutiram temas como “Recomendação de segurança para o manuseamento e aplicação de produtos fitossanitários”, Apresentação da gama de produtos fitossanitários e o seu uso eficaz no combate às pragas”, “Apresentação da gama de fertilizantes correntes e amigos da natureza” e “Apresentação de sementes diversas”.

Tempo

Multimédia