Províncias

Menos mortes por tuberculose

O Hospital Sanatório do Huambo registou, durante o primeiro semestre, 67 óbitos por tuberculose, o que representa uma redução de 12 casos em relação à igual período anterior, informou ontem o seu director.

Júlio Neto disse à Angop que, entre  Janeiro e Junho deste ano, foram consultados 6.200 pacientes, dos quais 583 casos positivos. Em termos de consultas, o director do sanatório disse que, em comparação à igual período de 2015, registou-se um aumento de 191 consultas, com 157 casos positivos.
“A redução do número de mortes deve-se a um intenso trabalho de sensibilização sobre as medidas de prevenção da doença, que têm sido levadas a cabo pela instituição e seus parceiros a nível das comunidades”, explicou Júlio Neto, que destacou o reforço do tratamento aos pacientes, apesar de ainda se registar o abandono da terapia por parte de alguns doentes e a chegada tardia à unidade hospitalar, muitas vezes, em estado grave.
  Júlio Neto apelou à sociedade civil a continuar a promover campanhas de doação de sangue, para a transfusão dos doentes com tuberculose, uma vez que, dos 82 internados, 50 por cento deles estão associados ao VIH/Sida.
Sobre o aumento dos casos positivos no período em referência, Júlio Neto apontou as alterações climatéricas, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, tabagismo e a má alimentação como as principais causas do surgimento da tuberculose.
O Hospital Sanatório do Huambo possui 200 camas e o seu funcionamento é assegurado por 190 funcionários, entre médicos, enfermeiros e trabalhadores administrativos.

Tempo

Multimédia