Províncias

Milhares de famílias com mais energia

Estácio Camassete e tatiana marta | Huambo

Mais de cem mil cidadãos dos municípios do Huambo e da Caála vão, pela primeira vez, beneficiar de energia eléctrica, com a conclusão, nos próximos meses, da instalação de uma nova central térmica na província.

Novos sistemas de fornecimento de energia eléctrica instalados na província do Huambo foram visitados pelo secretário de Estado da Energia
Fotografia: Victor Pedro| Huambo

A nova central térmica com capacidade para produzir 50 megawatts vai permitir 20.000 ligações domiciliares e beneficiar, pela primeira vez, mais de 100.000 cidadãos, nas duas cidades e arredores.
O secretário de Estado da Energia, Joaquim Ventura, aquando da sua última visita de trabalho à província, garantiu que, dentro de dois anos, Huambo vai beneficiar de cerca de 700 megawatts de energia eléctrica, a partir da barragem hidroeléctrica de Laúca.
Joaquim Ventura disse que já existe o projecto de extensão da linha de alta tensão de Laúca até à cidade do Huambo que, além do consumo, vai servir também para alavancar o desenvolvimento industrial da província e das sedes municipais e comunais.
“O programa do Governo visa a electrificação dos municípios e comunas. Portanto, já existem  estudos feitos no Huambo para que, tão logo sejam reunidas as condições financeiras, se iniciem as obras da extensão da linha de alta tensão para melhorar o fornecimento de energia eléctrica na província”, disse o secretário de Estado.
No mesmo âmbito, o governante salientou que o município da Chicala Choloanga vai beneficiar de uma subestação eléctrica, que vai alimentar a sede municipal e suas comunas, bem como o vizinho município do Catchiungo.
O administrador do município da Chicala Choloanga, Francisco Jamba Kata, mostrou-se satisfeito com o projecto do Executivo e aguarda com expectativa um futuro melhor para às populações, visto que actualmente o município é abastecido por um grupo gerador de 1.000 Kv, que alimenta cerca de 300 residências. Durante a sua estadia na província do Huambo, o secretário de Estado da Energia visitou o município da Chicala Choloanga, a subestação eléctrica de Belém, as centrais eléctricas do Benfica e do Lossambo, bem como as dos municípios do Longonjo e da Chicala Cholohanga.

Trabalhos científicos

Académicos, investigadores e docentes da V Região Académica do país defenderam no final de semana, no Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) do Huambo, a formação, com urgência, de quadros docentes com níveis de pós-graduação, para reforçar o ensino superior.
Esta conclusão resultou do primeiro ciclo de conferências científicas sobre a “Socialização dos resultados científicos da formação de ciências pedagógicas”, promovido pelo Instituto Superior de Ciências da Educação do Huambo e pela Escola Superior Pedagógica do Bié, que serviu para reflectir profundamente ­sobre a necessidade da formação de recursos humanos na carreira docente a nível de pós-graduação na V Região Académica.
A directora nacional de Formação Avançada e Investigação Científica, doutora Inês Massikini, em representação do ministro do Ensino Superior, Adão do Nascimento, sublinhou que a formação de recursos humanos destinados à carreira docente constitui um dos objectivos da pós-graduação no país, por se constar que apenas 22 por cento de docentes têm o grau de mestre e seis concluem o doutoramento.
“Estamos satisfeitos pelos resultados desta região académica, que de 2010 a 2016 formou 42 mestre e 21 doutores”, disse a doutora.
A responsável referiu que a divulgação científica colabora no esclarecimento à população sobre os avanços da ciência e da técnica, fornece subsídios para a formação da consciência crítica, bem como expande os conhecimentos científicos além dos muros das universidades e centros de investigação científica, promovendo assim uma maior interacção entre investigadores e a sociedade. Sublinhou que os sucessos até agora alcançados mostram ser necessário trabalhar-se cada vez mais, com muita dedicação e afinco, para gerar soluções adequadas aos problemas da sociedade, no campo da educação.
Inês Massikini apelou aos dirigentes do sector da Educação no sentido de criarem condições para transformar em acções práticas as orientações baixadas e implantar as directrizes curriculares para melhorar a qualidade docente tanto do ensino superior como do médio.
“Devemos redefinir a formação profissional, buscando a formação de um graduado familiarizado com novas tecnologias e com espírito empreendedor”, disse a responsável. Vários temas estiveram na mesa dos debates, como “Operacionalização e implementação do plano nacional de formação de quadros no domínio da formação de professores no subsistema de ensino superior”, e foram apresentados trabalhos científicos elaborados em faculdades da V Região Académica.

Tempo

Multimédia