Províncias

Milhares de funcionários foram formados no país

Victória Quintas | Huambo

O Centro de Formação de Funcionários Públicos formou, durante o ano passado, 4.973 trabalhadores em todo o país, no âmbito do programa de capacitação de quadros, e criou mais de 15 mil empregos indirectos, disse ontem na cidade do Huambo, o director da incubadora de emprego do Ministério Administração Pública Emprego e Segurança Social.

A instituição pública tem ensaiado programas de fomento de auto-emprego com as componentes de formação institucional
Fotografia: Jornal de Angola

O Centro de Formação de Funcionários Públicos formou, durante o ano passado, 4.973 trabalhadores em todo o país, no âmbito do programa de capacitação de quadros, e criou mais de 15 mil empregos indirectos, disse ontem na cidade do Huambo, o director da incubadora de emprego do Ministério Administração Pública Emprego e Segurança Social.
Jacinto Domingos acrescentou , no acto da abertura do Serviço Integrado de Atendimento ao Cidadão (SIAC), que em 1997 e 1998, a instituição tinha capacidade para formar 3.700 trabalhadores e a sua distribuição era heterogenia, circunscrita a quatro províncias do país. “Hoje, temos capacidade para formar 63 mil trabalhadores em quase todas as províncias, com excepção de Benguela, Bié e Cunene. Apesar do esforço de fazer sair estes jovens para o mercado de emprego, este ainda não consegue absorver grande parte deles por diversas razões”, disse.
Por isso, referiu, o Ministério da Administração  Pública  Emprego e Segurança Social (M APES) tem ensaiado programas de fomento de auto-emprego, com as componentes de formação institucional, capacitação, acessoria jurídica para a formalização paulatina dos pequenos negócios, bem como a vertente de estágios, por formas a complementar a formação ministrada em centros clássicos.
O Huambo, uma das 15 províncias onde funciona o programa, considerado de âmbito nacional por Jacinto Domingos, formou até ao momento, mais de 300 funcionários públicos.
O programa  do MAPES conta com a parceria do Banco Sol, no quadro da sua actividade de responsabilidade social, para o qual foi elaborado um pacote de crédito fácil, denominado “Micro Crédito Amigo”, que permite empréstimos de até 100 mil kwanzas e 500 mil para os já associados.  O referido pacote já beneficiou 291 pequenos empreendedores, com um montante de 2.91 milhões de kwanzas.

Tempo

Multimédia