Províncias

Milhares de habitantes consomem água potável

António Canepa | Huambo

O Governo da Província do Hu­ambo, nos últimos quatro anos, tem construído e reabilitado 480 pontos de água, entre manivelas e chafarizes, para abastecer de água potável cerca de 680 mil habitantes até ao final do ano.

A extensão da linha de distribuição para as novas construções do Lossamba está também em curso na província do Huambo
Fotografia: Francisco Lopes | Hambo

O Governo da Província do Hu­ambo, nos últimos quatro anos, tem construído e reabilitado 480 pontos de água, entre manivelas e chafarizes, para abastecer de água potável cerca de 680 mil habitantes até ao final do ano.
A par destas obras, as autoridades executaram ainda 51 pequenos sistemas de abastecimento de água, dentro de um conjunto de 531 projectos programados para a província.
No início do projecto, em 2002, pouco mais de 20 por cento, ou seja, cerca de 150 mil cidadãos tinham acesso à água tratada. De 2008 a 2011, mais de 200 mil pessoas beneficiaram de água canalizada, o que corresponde a 42 por cento. O director provincial da Energia e Águas do Huambo, Jorge Andrade, disse que o Governo está empenhado em fornecer mais água e prestar melhor serviço aos cidadãos, construindo mais sistemas de captação, tratamento e distribuição.
O responsável afirmou que o município do Huambo é abastecido pela central do rio Kulimahãla, com 100 mil metros cúbicos por dia, quantidade insuficiente, dado o crescimento da cidade e da população, que está acima dos dois milhões de habitantes.
 Um estudo, disse Jorge Andrade, revela que este sistema tem capacidade para abastecer a cidade por mais dois anos.
 Beatriz Tutuvala, chefe de departamento de Águas da Direcção Provincial de Energia e Águas do Huambo, disse que, no quadro do Programa “Água para Todos”, o Governo do Huambo pretende levar este bem para as regiões mais distantes, a fim de que, até 2015, toda a população tenha acesso à água potável.
Cerca de 35 pequenos sistemas de abastecimento de água estão em construção nos 11 municípios e comunas, enquanto os bairros periféricos dos principais centros urbanos são contemplados com milhares de ligações domiciliárias.  A direcção provincial de Águas do Huambo aponta que as novas ligações cobrem nos próximos meses os bairros de São Pedro, Calomanda e a zona industrial, numa extensão de 80 quilómetros de distribuição de água potável. A extensão da linha de distribuição de água para as novas construções do Lossambo e outras está também em curso. A meta é fornecer água 24 horas por dia, com a entrada em funcionamento da barragem do Ngove, prevista para este mês.
  O Governo Provincial do Huambo trabalha ainda para a construção de uma estação de tratamento de água sobre o rio Kunhoñgamwa, com capacidade de bombear quatro metros cúbicos por segundo, para atender o Huambo e a Caála.
 Na cidade do Huambo foram reabilitados cerca de 160 quilómetros de redes de abastecimento e distribuição de água.
  A província conta em breve com mais uma Estação de Tratamento de Água, na zona do Caululu, na foz do rio Kunhoñgamwa.
 Na Caála está em curso a instalação de canalizações em quase todos os bairros periféricos.
As autoridades locais, para além do sistema de captação e tratamento de água, que abastece as populações 12 horas por dia, estão a montar outro, para reforçar o abastecimento.

Melhorias no Ecunha


 O chefe de repartição municipal da Energia e Águas no Ecunha, Tomás de Jesus Guerreiro, informou que no âmbito do Programa “Água para Todos” foram instalados na circunscrição 85 sistemas de manivelas em algumas aldeias para 200 famílias.
Tomás Guerreiro disse que foram também instalados cinco sistemas com painéis solares para abastecer duas mil famílias, além de outros cinco ainda por instalar, que vão alargar o abastecimento noutras aldeias.
 O projecto integral de abastecimento de água contempla todas as sedes dos municípios e comunas. No município do Ecunha, 8.854 cidadãos residentes na povoação de Kaliamamo beneficiam, pela primeira vez, de água canalizada.

Tempo

Multimédia