Províncias

Militares aconselhados a fazer rastreio do cancro da próstata

O efectivo das Forças Armadas Angolanas (FAA) da Região Militar Centro (RMC) foi  aconselhado a ter o hábito de efectuar regularmente o rastreio do cancro da próstata, enquanto medida eficaz da prevenção da doença.

Fotografia: DR

O apelo é da supervisora local das doenças crónicas, do Departamento de Saúde Pública e Controlo de Endemias, Lourdes Maieca Garcia, quando falava numa palestra sobre  “As medidas de prevenção e consequências do cancro da próstata”, no âmbito da campanha Novembro Rosa.
Na sua intervenção, recomendou os militares no sentido de terem o hábito de visitar de forma regular um urologista para saberem sobre o seu estado de saúde, de modo a evitar descobrir a doença já em estado avançado.
Explicou aos participantes que a doença não tem causas cientificamente comprovadas, constituindo-se,
à semelhança de outros cancros, numa anomalia das células do corpo que vão se desenvolvendo na região, daí a importância das consultas constantes, de modo a se saber se está a evoluir no organismo ou não.

Tempo

Multimédia