Províncias

Morte de criança causa revolta de familiares

Justino Victorino | Huambo

Os familiares da menor Niura Cesaltina Ventura, 9 anos, que faleceu, hoje,  no banco de urgência da Pediatria do Hospital Central do Huambo,  atribuem a culpa do infortúnio à equipa médica que esteve de serviço, considerando que houve “negligência médica”.

Fotografia: DR

“A criança esteve várias horas em agonia no banco de urgência, no colo do pai, à espera de atendimento, e os médicos só a atenderam quando o pai decidiu levá-la a um posto médico particular, mas nessa altura já estava praticamente morta”,  disse ao Jornal de Angola Bento Chiapo, tio da vítima.
“O meu  irmão”, prosseguiu, “ chegou à pediatria do Hospital Central com a filha por volta das 6 horas da manhã. Na altura, os médicos  disseram que a sua filha não apresentava um quadro grave, pelo que poderia esperar porque havia outros pacientes cujo atendimento era urgen-te. Pouco tempo depois  desta resposta a minha sobrinha acabou por falecer”.
O pai da vítima, segundo Bento Chiapo, “clamava  in-cessantemente por  socorro,  mas a resposta que obteve de uma médica foi de que havia outras pessoas para serem atendidas porque tinham chegado mais cedo”.
O porta-voz do hospital, Félix Úlica, garantiu que vai ser instaurado um inquérito para se apurar “com profundidade a veracidade dos factos”. “Lamentamos o infortúnio, e garantimos que brevemente a direcção do hospital vai se pronunciar a respeito”, assegurou  o porta-voz.

Tempo

Multimédia