Províncias

Mortes por malária estão a diminuir

Marcelino Dumbo | Huambo

O índice de mortalidade por malária, que durante o ano passado era calculado entre três a cinco mortes por mês, no centro de saúde do Casseque III, reduziu, no ano em curso, para dois casos mensais, devido o melhoramento dos serviços de saúde na província.

O índice de mortalidade por malária, que durante o ano passado era calculado entre três a cinco mortes por mês, no centro de saúde do Casseque III, reduziu, no ano em curso, para dois casos mensais, devido o melhoramento dos serviços de saúde na província.
A informação foi avançada pelo administrador do centro, Armando Messamessa, que disse que, no conjunto das doenças mais frequentes, a malária tem sido a principal causa de mortes.
O administrador garantiu que a distribuição de mosquiteiros impregnados a mulheres grávidas, a crianças menores de cinco anos e as palestras de sensibilização constituem outras formas de combate ao paludismo.
O centro de saúde do Casseque III tem capacidade para internar 20 doentes e está devidamente equipado com meios modernos de laboratório, RX, puericultura, obstetrícia, medicina, entre outros serviços.
Diariamente são atendidas, em média, nas diversas secções, entre 100 a 112 pacientes, provenientes dos bairros periféricos de Ndjongolo, Lufefena, Belém e dos municípios do Ekunha e Caála.

Tempo

Multimédia