Províncias

Movimento cooperativista está a crescer no Huambo

Tatiana Marta | Huambo

 A província do Huambo está a registar um aumento da actividade cooperativista, graças ao empenho dos camponeses, afirmou ontem ao Jornal de Angola o vice-presidente da União Nacional dos Camponeses de Angola (UNACA), ­Albano Lussati.

Camponeses da região têm recebido vários apoios para poderem aumentar a produção
Fotografia: Jornal de Angola

A província do Huambo está a registar um aumento da actividade cooperativista, graças ao empenho dos camponeses, afirmou ontem ao Jornal de Angola o vice-presidente da União Nacional dos Camponeses de Angola (UNACA), ­Albano Lussati.
Actualmente, estão registadas na província 736 associações camponesas, das quais 136 cooperativas, enquanto há dois anos havia apenas 100.
“É preciso incentivar os camponeses a aderirem ao movimento cooperativo, tendo em conta as grandes vantagens que apresentam na criação de riqueza para as famílias”, referiu.
Lussati salientou que o governo está preocupado com as dificuldades derivadas da seca, que este ano afectou as culturas um pouco em todo o país. No entanto, garantiu que estão a ser estudadas soluções para as populações e produtores. “Este ano foi muito difícil para os cooperativistas, associações e produtores no seu todo, devido à estiagem. A UNACA e o Executivo vão encontrar soluções para se ultrapassar esta dificuldade”, garantiu.
A União assinou um acordo com o Ministério da Justiça, no sentido de regularizar os emolumentos necessários para a legalização das cooperativas agrícolas.
“Recebemos um documento onde a ministra da Justiça pormenoriza os métodos e despesas para a legalização de uma cooperativa”, disse, recordando que muitos camponeses estão a trabalhar com o crédito agrícola de campanha.

Tempo

Multimédia