Províncias

Municipalização dos serviços de Saúde reduziu casos de doenças no Bailundo

O chefe de Repartição Municipal de Saúde no Bailundo, Samuel Sacunduinga, afirmou quinta-feira que o Programa de Municipalização dos Serviços de Saúde está a contribuir na redução de casos de doenças.

Expansão de unidades sanitárias e admissão de técnicos tem reduzido os casos de doenças em comunidades do município do Bailundo
Fotografia: Jornal de Angola

O chefe de Repartição Municipal de Saúde no Bailundo, Samuel Sacunduinga, afirmou quinta-feira que o Programa de Municipalização dos Serviços de Saúde está a contribuir na redução de casos de doenças.
O responsável disse à Angop que, de Janeiro a Setembro deste ano, foram registados cinco mil casos que resultaram na morte de cinco pessoas, contra os 5.619 casos de doenças que provocaram a morte de 21 cidadãos em várias unidades da região, em igual período do ano passado.  O responsável assegurou que a aproximação dos serviços de saúde junto das populações, a aplicação do programa anti-larvar e a movimentação das brigadas móveis nas comunidades e a distribuição gratuita de redes mosquiteiras tratadas com insecticidas estão na base da redução das doenças no Bailundo. /> Samuel Sacunduinga destacou que com o programa de saúde nas aldeias, as populações estão mais informadas sobre os vários problemas de saúde pública, reprodutiva e saúde curativa e as famílias velam pela construção de latrinas.  O responsável da saúde referiu que a municipalização dos serviços de saúde está a incidir as suas acções na construção e manutenção de infra-estruturas sanitárias, aquisição de medicamentos e alimentação para os pacientes.
O município do Bailundo possui uma rede sanitária composta por dois hospitais, cinco centros comunais e 22 postos de saúde, que são suportados por 508 funcionários, entre os quais seis médicos, técnicos médios, enfermeiros e pessoal administrativo, que servem um universo de cerca de 250 mil habitantes.

Tempo

Multimédia