Províncias

Município do Longonjo necessita de salas de aula

Justino Victorino |Longonjo

O governador da província do Huambo, Fernando Faustino Muteka, mostrou-se preocupado com o facto de mais de onze mil crianças estarem, no presente ano lectivo, fora do sistema normal de ensino, no município do Longonjo. A situação deve-se à faltam de infra-estruturas escolares na região.

Longonjo precisa de mais 14 escolas para que todas as crianças possam aprender a ler
Fotografia: Aornal de Angola

O governador da província do Huambo, Fernando Faustino Muteka, mostrou-se preocupado com o facto de mais de onze mil crianças estarem, no presente ano lectivo, fora do sistema normal de ensino, no município do Longonjo. A situação deve-se à faltam de infra-estruturas escolares na região.

Faustino Muteka reconheceu que o sector da Educação ainda enfrenta problemas de ordem organizativa, mas considera a situação no Longonjo muito preocupante, dado o número elevado de crianças fora do sistema, considerado o mais alto na província.
“Urge ultrapassarmos esta situação o mais depressa possível. Estamos perante uma situação insustentável, que não pode ser tolerada nos próximos tempos. 60 por cento das crianças no Longonjo não estuda por falta de salas de aula e, sendo obrigação do Estado proporcionar condições de vida estável à criança, entendemos ser a escola uma destas prioridades. Logo, temos que inverter o quadro o mais depressa possível, com acções que devem constar rapidamente do programa do Governo”, disse.
O governador reconhece, por outro lado, que, pelo facto de o ano lectivo já ter começado, a inversão do quadro não será fácil. Mas a execução do Orçamento Geral do Estado, já a partir de Abril, como anunciado pelo Conselho de Ministros, vai possibilitar ao Governo do Huambo priorizar, dentro no seu plano de acção e execução para a este ano, a construção de novas salas de aulas, no Longojo e nos demais municípios da província.
De acordo com o chefe de repartição municipal da Educação no Longonjo, Mário Catchicualo, o município tem 61 estabelecimento de ensino, dos quais 13 de construção definitiva. 
O responsável da Educação fez saber que a Administração Municipal do Longonjo já remeteu um projecto à Direcção Provincial da Educação para a construção de mais 14 escolas. O sector da Educação do Longonjo matriculou, para o presente ano lectivo, 28.687 alunos, que são acompanhados por 486 professores.

Requalificação

Faustino Muteka disse ao Jornal de Angola, durante visita de campo ao Longonjo, que o Governo da província do Huambo vai apostar na requalificação do município, com a ocupação dos espaços livres que permitam a construção de novos fogos habitacionais, no âmbito do programa do Governo Central de urbanização e habitação.
Para o efeito, assegurou ser necessário que o projecto de requalificação do município passe por um estudo aturado, para que não sejam cometidos erros na construção das infra-estruturas. Tendo em atenção este pormenor, Muteka instruiu já a Direcção Provincial do Urbanismo e Habitação do Huambo a trabalhar com administração municipal do Longojo, no sentido de evitar que a requalificação da região seja feita de maneira anárquica.
O município do Longonjo, de acordo com dados da Direcção do Urbanismo e Habitação do Huambo, dispõe de duas áreas de reservas fundiárias, designadamente a área urbana e suburbana. A primeira tem cerca de 100 hectares e a segunda mais de 50.
A administradora do Longonjo, Beatriz Filipe Tutuvala, disse está a ser feito o levantamento topográfico das reservas fundiárias na área suburbana, com vista à elaboração do plano de urbanização, a curto prazo, e consequente distribuição de terrenos aos munícipes interessados em realizar a auto construção dirigida.

Tempo

Multimédia